terça-feira, 26 de agosto de 2008

Tratamentos para a alma





Reportagem da revista Istoé, traz uma nova forma da medicina tratar os pacientes. A FÈ.

Há uma revolução em curso na medicina que mudará para sempre a forma de tratar o paciente. Médicos e instituições hospitalares do mundo todo começam a incluir nas suas rotinas de maneira sistemática e definitiva a prática de estimular nos pacientes o fortalecimento da esperança, do otimismo, do bom humor e da espiritualidade.

A adoção desta postura teve origem primeiro na constatação empírica de que atitudes mais positivas traziam benefício aos pacientes. Isso começou a ser observado principalmente em centros de tratamento de doenças graves como câncer e males que exigem do indivíduo uma força monumental. No dia-a-dia, os médicos percebiam que os doentes apoiados em algum tipo de fé e que mantinham a esperança na recuperação de fato apresentavam melhores prognósticos. A partir daí, pesquisadores ligados principalmente a essas instituições iniciaram estudos sobre o tema.



A partir de informações como essas, os cientistas resolveram identificar o que levava a esse impacto. Chegaram basicamente a duas razões. Uma é de natureza comportamental. Em geral, quem é otimista, tem esperança e cultiva alguma fé costuma ter hábitos mais saudáveis. Além disso, essas pessoas seguem melhor o tratamento. “Uma postura positiva leva a gestos positivos. Os pacientes se cuidam mais, alimentam-se bem, fazem direito a fisioterapia, mesmo que ela seja dolorosa”, explica a clínica geral carioca Cláudia Coutinho.


A outra explicação tem fundamento biológico. Está provado que a manutenção de um estado de espírito mais seguro e esperançoso desencadeia no organismo uma cadeia de reações que só trazem o bem. “Se o paciente é otimista, encara um problema de saúde como um desafio a ser vencido. Nesse caso, as alterações ocorridas no corpo poderão ser usadas a seu favor”, explica o pesquisador Ricardo Monezi, do Instituto de Medicina Comportamental da Universidade Federal de São Paulo. O bom humor, por exemplo, é capaz de promover o aumento da produção de hormônios que fortalecem o sistema de defesa, fundamental quando o corpo precisa lutar contra inimigos. Além disso, o riso provoca relaxamento de vários grupos musculares, melhora as funções cardíacas e respiratórias e aumenta a oxigenação dos tecidos.

É esse arcabouço de informações que permite hoje o uso, na prática, da espiritualidade, do otimismo, da esperança e do bom humor como recursos terapêuticos dentro da medicina. Nos Estados Unidos, por exemplo, pesquisadores da Universidade do Alabama preparam-se para começar a aplicar um tratamento batizado de “terapia da esperança”. O sistema consiste em ajudar os pacientes a construir e a manter a esperança diante da doença. “O primeiro passo é auxiliá-los a encontrar um objetivo importante que dê sentido a suas vidas. Depois, aumentar a motivação para alcançá-lo e orientálos sobre os caminhos a serem seguidos”, explicou à ISTOÉ Jennifer Cheavens, da Universidade de Ohio e participante do grupo que desenvolveu a novidade. Essa construção é feita com base em técnicas usadas na terapia cognitivo-comportamental, cujo objetivo é treinar o indivíduo a pensar e a agir de forma diferente para conseguir lidar de modo mais eficiente diante de condições adversas. O treinamento é feito com duas sessões semanais realizadas durante dois meses. A terapia será usada em portadores de deficiências visuais e nas pessoas responsáveis por seus cuidados. “Acreditamos que ela ajudará muito na redução da depressão e de outros problemas associados à perda da visão. Os pacientes ficarão mais motivados a lutar contra as dificuldades e a participar dos trabalhos de reabilitação”, explicou à ISTOÉ Laura Dreer, professora do departamento de oftalmologia da Universidade do Alabama, nos EUA.


Talvez o símbolo mais emblemático do fim do preconceito da medicina ocidental contra questões relativas à emoções e espiritualidade seja o que está acontecendo na Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP), a mais tradicional do País. Em novembro, a instituição sediará um evento para mostrar aos profissionais de saúde a importância de recursos como a espiritualidade e o bom humor na recuperação de pacientes. O curso será ministrado pelo geriatra Franklin dos Santos, professor de pós-graduação da disciplina de emergências médicas da universidade. No programa, há um bom espaço para ensinar os médicos e enfermeiros a usarem essas ferramentas. “Discutimos como isso deve ser aplicado na prática”, diz o médico, que tem dado palestras pelas escolas de medicina do País inteiro.



Nos Estados Unidos, também há um esforço para treinar os profissionais de saúde. Só para se ter uma idéia, o Instituto Nacional de Câncer americano criou uma espécie de guia para orientar médicos, enfermeiros e psicólogos sobre como usar a espiritualidade do paciente a seu favor. Todo esse interesse é o sinal mais patente de que a revolução vai durar. Por isso, ninguém deve se surpreender se quando chegar ao consultório médico for indagado sobre suas condições de saúde, obviamente, mas também sobre sua relação com a espiritualidade ou disposição de esperança. “Questões como essas devem começar a ser cada vez mais levantadas”, defende Brick Johnstone, professor de psicologia médica da Universidade Missouri-Columbia, nos EUA.

Nota: Podemos perceber que a cada dia a ciência vem descobrindo que uma vida com Deus pode ser mais fácil. Sabemos que os problemas aparecerão, mas podemos ter a certeza que com Deus na direção a nossa vida é mais feliz e se surgirem tempestades elas se dissiparão.Pois Deus quer o nosso bem estar. Quer nossa alegria.
Se você é feliz, viva com intensidade; se sofre não faça desse sofrimento uma bandeira nem uma estaca para você se escorar; use o sofrimento como uma espada com a qual você irá furar as barreiras que possam aparecer em seu caminho.
Lute sempre para que mesmo sem querer o sorriso não deixe de brotar de sua face e nos seus lábios. A serenidade esteja sempre em seu rosto; não deixe que a tristeza aflore em seus sentidos mesmo que as lembranças tentem perturbá-lo e o prato venha fácil esconder essas lembranças. Bem no fundo de sua alma, pense e não chore. Lembra-te que há alguém prá te dar aquela força que você precisar. Quanto ao desespero e angústia tranque-os numa caixinha e jogue a chave no mar. E quando estiver num baixo-astral, lembre de Deus. Lembre que quando Deus nos deu a vida queria que vivêssemos e não morrêssemos. Deus nos deu a vida que é a essência do ser e a supremacia do amor.
Acho que só posso pedir ou exigir que você viva, lute pelo seu sonho, lute pelo seu amor; quero que quando escutar ou ler algo parecido com isso, lembre-se que não é sentimento poético e sim puro e real sentimento da força que Deus tem para dar a você.


Leia a reportagem na integra.
Istoé

segunda-feira, 25 de agosto de 2008

A Matemática de Deus


Jesus e a Lei

Na infância, sempre ouvi falar de Deus, com uma grande balança na mão, pesando os bons e maus atos que eu cometia. Mas, estudando a Bíblia, comecei a perceber que a matemática de Deus é diferente. Na matemática Divina, o sangue de Cristo sempre zera minhas dívidas - tudo muda de figura.

No último capítulo, descobrimos que Jesus não desprezou a Lei, pois ela faz parte da vida dos que se convertem. Ele mesmo disse: “Não pensem que vim abolir a Lei ou os Profetas; não vim abolir, mas cumprir”. Mateus 5:17. Jesus apenas mostrou aos homens o lugar que a Lei ocupa: o coração (João 14:15). E, ao obedecê-la, Ele mostrou como ela deve ser cumprida. Abolir os Dez Mandamentos seria permitir que as pessoas matem, roubem, adulterem e façam tudo mais que a Lei proíbe. Jesus jamais permitiria isso!

A maioria dos cristãos não admite transgredir nove dos dez mandamentos da Lei de Deus. Todavia, o Decálogo não é formado por nove mandamentos e sim, dez. O mandamento que a maior parte das denominações cristãs não aceita é o quarto, que ordena a guarda do Sábado.

Mas, se Jesus não aboliu a Lei, então, nos restam algumas perguntas:
• O que fazer com o Sábado?
• Ele ainda deve ser guardado?
• Para quê?
• Deus não aceitaria que eu guardasse apenas os outros nove mandamentos?

24 Horas com Deus

Tudo o que Deus faz tem propósitos definidos. No princípio, Ele criou os elementos, o meio ambiente e as condições de vida, de forma ordenada. Cada detalhe da Criação tinha um papel definido. Então, “criou Deus o homem à sua imagem”. Gênesis 1:27. Deus formou o homem e a mulher. Imagine quantas coisas Adão e Eva tinham para perguntar ao Criador. Quanto tempo será que Deus dedicava aos dois? Diariamente, quando o Sol se escondia, o Criador se encontrava com Seus filhos (Gênesis 3:8).
Entretanto, Deus queria mais! E, por isso, planejou passar um tempo especial com o ser humano (Gênesis 2:2; Êxodo 31:13; Ezequiel 20:12, 20). Seu desejo era gastar TEMPO com o primeiro casal PORQUE O TEMPO É A ESSÊNCIA DA VIDA. NA VERDADE, O TEMPO É A PRÓPRIA VIDA.

Quer dizer ao seu filho de 4 anos que você o ama? Então dedique tempo a ele. Ao invés de apenas dizer: “Eu te amo!”, prove que o ama jogando bola e brincando de carrinho com ele. Quer dizer a sua esposa que você a ama? Dedique tempo a ela, só vocês dois. Não dá para entender uma declaração de amor de alguém que passa tanto tempo fora de casa a ponto de se tornar um hóspede.

O Criador escolheu dedicar a coisa mais importante do mundo a nós, Seus filhos: Seu TEMPO. Para Deus, o Sábado não é um dia como os outros, mas um tempo especial para passar com Seus filhos. Ele sabia que o homem se esqueceria do Sábado. Por isso, o quarto mandamento, o mais esquecido, é também o único que começa com o apelo: “LEMBRA-TE do dia de sábado, para santificá-lo.” Êxodo 20:8 (Grifo acrescentado).

Seria apenas esquecimento?


Não. Existem alguns fatores que contribuem para que o quarto mandamento não seja guardado: a mudança do sábado para o domingo e a interpretação equivocada de alguns textos.

Sobre a troca do dia de guarda, o profeta Daniel afirmou que um poder político e religioso mudaria a Lei de Deus: “... cuidará em mudar os tempos e a lei...” Daniel 7:25 – RA. Tal alteração se confirmou com as decisões romanas tomadas ao longo da história. Nas palavras de Johann Eck, um dos líderes da Igreja no século 16, “a igreja mudou o sábado para o domingo por sua própria autoridade, e para isso... não existe Escritura.” Se você comparar o Catecismo com os Dez Mandamentos em Êxodo 20:1-17, verá que o segundo mandamento foi tirado. O quarto, que ordena a observância do Sábado, foi trocado por “guardar domingos e festas”. E, para suprir a falta do segundo mandamento, o Catecismo dividiu o décimo em dois.
Em relação aos textos mal interpretados, dois são os mais usados:

• Efésios 2:15 - RA: “Aboliu, na sua carne, a lei dos mandamentos na forma de ordenanças...” Neste texto, a lei chamada de “ordenanças” são as leis cerimoniais (páscoa, circuncisão, sacrifícios de animais, etc.), usadas por Deus para ensinar aos israelitas a gravidade do pecado e mostrar-lhes a necessidade de um Salvador. Leia Romanos 3:31 e veja que o mesmo escritor de Efésios disse que a Lei moral não é abolida pela fé.

• Colossenses 2:14 e 16: “Tendo cancelado o escrito de dívida, que era contra nós e que constava DE ORDENANÇAS... removeu-o inteiramente, encravando-o na cruz... Ninguém, pois, vos julgue por causa de comida e bebida, ou dia de festa, ou lua nova, ou SÁBADOS.” “Sábado” significa “descanso”. Nos sete feriados religiosos anuais (Páscoa, Expiação, Tabernáculos, etc.), as pessoas descansavam e, por isso, tais dias também eram chamados “sábados”, mesmo caindo em diferentes dias da semana.

Com a morte de Cristo, esses feriados que apontavam para o Seu sacrifício na cruz perderam a razão. Entretanto, para o próprio apóstolo Paulo, o SÁBADO SEMANAL permanece como um memorial do Criador (Atos 16:13; 17:2; 18:3, 4, 11).

A Digital do Criador

Deus é organizado e perfeito. Sabendo que o ser humano estudaria a natureza, Ele escolheu o número 7 como símbolo da Sua perfeição e o deixou registrado na natureza, como evidências de que o sétimo dia da semana é Sua assinatura, Sua impressão digital deixada na Criação para que pudéssemos lembrar dEle “para sempre” (Gênesis 2:1-3; Êxodo 31:17 - RA).
Conheça agora algumas curiosidades da presença do número 7 na Criação:

• Ao criar a matéria, Deus usou uma espécie de “tijolinho” chamado átomo.Você sabia que a estrutura do átomo é formada por 7 camadas energéticas: k, l, m, n, o, p, q?

• Mas o Universo não é feito só de átomos, pois se assim fosse, tudo seria apenas escuridão. Como solução para isso, Deus criou a luz, dando ao mundo claridade, calor e cores, tudo perfeito. Você sabia que a luz criada por Deus no primeiro dia (Gênesis 1:3) é formada por 7 cores monocromáticas?

• Você sabia que, enquanto Deus, com Sua melodiosa voz, criava o mundo, os anjos cantavam (Jó 38:4 e 7)? Detalhe: a escala musical é baseada em 7 notas!

Se Deus abolisse a observância do sétimo dia Ele estaria se contradizendo, pois destruiria o lembrete do Seu poder criador, Sua IMPRESSÃO DIGITAL (Êxodo 20:8-11 – comparar com Apocalipse 14:7).

Você pode estar pensando: “A Lei é bastante lógica. Mas, e guardar o Sábado? Isso não faz sentido, pois as coisas mudaram. Estamos no século 21!”
Entretanto, a Bíblia afirma que a matemática de Deus é diferente da matemática humana: “Pois quem obedece a toda a Lei, mas tropeça em apenas um ponto, torna-se culpado de quebrá-la inteiramente.” Tiago 2:10.

Isso significa que:
• Enquanto na matemática humana, 10-1=9;
• Na matemática divina, 10-1=0!

Deus já sabia que a humanidade se esqueceria dEle como Criador e que Darwin apareceria tentando destruir as marcas da Sua criação. Por isso, Ele deixou na natureza evidências da Sua existência (Romanos 1:18-23). Podemos encontrar, por todos os lados, a impressão digital do Criador: o número 7, o Sábado, o sétimo dia.

Embora homens tenham mudado o dia de guarda do sábado para o domingo, Deus adverte severamente os que mudarem a Bíblia: “E, se alguma pessoa tirar alguma coisa das palavras proféticas deste livro, Deus tirará delas as bênçãos descritas neste livro, isto é, a sua parte da fruta da árvore da vida e também a sua parte da Cidade Santa.”Apocalipse 22:19.

Ao concluirmos, podemos dizer que o fato de guardar o Sábado não salvará ninguém, porque “pela graça sois salvos, por meio da fé, isto não vem de vós, é dom de Deus”. Efésios 2:8. A SALVAÇÃO foi e sempre será pela GRAÇA, mediante a FÉ. Entretanto, as obras são o resultado de termos sido salvos (Efésios 2:10) e, por isso, o Deus da graça quer ser adorado no dia especial que Ele determinou.

Se alguém pensa que é ultrapassado guardar o sábado em pleno século 21, saiba que nunca foi tão atual, nem tão necessário lembrar que Deus é o Criador. Deus tem um convite muito especial ao homem pós-moderno: “...temam a Deus e glorifiquem-no, pois chegou a hora do seu juízo. Adorem aquele que fez os céus, a terra, o mar e as fontes das águas” Apocalipse 14:7.

Deus não só espera que guardemos o Sábado hoje, mas anuncia que aqueles que o fazem, continuarão pela eternidade: “E será que desde uma lua nova até à outra, e desde um sábado até o outro, virá toda a carne a adorar perante mim, diz o Senhor.” Isaías 66:23 – ARA.

Americanos estocam caixões de defunto


Raramente repasso algum texto ou e-mail desses que circulam pela net. Se for 'apocalíptico', então... Mas estava olhando pela net e li esta reportagem no blog do Michelson Borges. Onde ele fala de uma noticia que se deu no blog do Amilton Menezes.

Não posso prever o futuro, mas algo muito estranho está acontecendo aqui nos US. Um monte de gente tem falado sobre um possível caos e crise aqui antes da eleição em outubro. Ninguém sabe o que é ao certo. Cada dia uma pessoa diferente chega pra gente e fala coisas sobre algo terrível que está para acontecer. Uns dizem que os estados americanos estão estocando caixões (e tem vídeos no youtube mostrando isso), milhares deles, pois estão esperando algo grande acontecer. Tem caixões que cabem uma família inteira dentro. Eu assisti o vídeo no youtube.

Eu assisti também uma entrevista com o George Bush de 15 minutos sobre o encontro dele com o Papa, onde a última pergunta que o entrevistador faz para ele é: 'Quando você olhou para o Papa, o quê você viu?' E a resposta dele imediata é: 'God' (Deus).

Esta última madrugada de ontem para hoje (terça), um rapaz ligou aqui para a instituição, para sua irmã que é estudante aqui, às 3 da matina, pois ele viu um monte de caminhões com caixões chegando aqui no estado vizinho, Alabama. Não são 30 ou 40, são milhares.

Também falam em contaminação de alimentos e até da água, com fins de diminuir a população.

Mas, olha, muita gente aqui só fala dessa crise. E pessoas de vários lugares, não é um povo só aqui ou acolá. Muita gente de outros países está deixando os US com medo dessa tal crise. Sei que no fala-fala sempre tem exageros e coisas enganosas, mas muita gente tá falando nisso, até alguns estudiosos de economia e política.

Eu recebo diariamente o jornal The Wall Street Journal, e ontem estava falando na capa que 'Os sete anos de tranqüilidade devem ter terminado'. Hoje, lendo esse mesmo jornal sobre os candidatos Obama e McCain, perguntaram a eles por que eles gostariam de ser presidente, e o McCain respondeu mais ou menos assim: 'Queremos um povo que esteja interessado num bem maior que o desejo que eles próprios têm.' Isso, para mim, em outras palavras, quer dizer: 'Queremos um povo que obedeça ao estado acima de suas próprias crenças.'

Então, não sei o que realmente acontecerá aqui. Muitos adventistas têm esperado algo grande e forte aqui em setembro, e outras pessoas não-adventistas e mídias seculares têm falado 'meio que por baixo dos panos' (mas para um bom entendedor, meia palavra basta) sobre a crise por vir.

Será que foi coincidência que algo grande está para acontecer no Brasil também em setembro, o Impacto Esperança, como um último alerta para o povo? Para mim, tudo isso soa como uma última oportunidade de Deus para ficarmos prontos HOJE para o retorno de Jesus. Nos desapeguemos do dinheiro e das coisas do mundo e nos liguemos inteiramente a Deus.

Mesmo que não aconteça nada grande e grave aqui, em setembro, fiquemos de olho, pois Ele disse que voltaria, e esse dia está chegando.


E o Amilton conclui: "Ficar assustado? Com medo? De jeito nenhum! As palavras de Jesus ecoam com força: 'Quando virdes todas estas coisas, sabei que [Minha volta] está próxima, às portas' (Mateus 24:33)."

sexta-feira, 22 de agosto de 2008

Crenças Fundamentais: A Natureza do Homem


O homem e a mulher foram formados à imagem de Deus com individualidade e com o poder e a liberdade de pensar e agir. Conquanto tenham sido criados como seres livres, cada um é uma unidade indivisível de corpo, mente e alma, e dependente de Deus quanto à vida, respiração e tudo o mais. Quando nossos primeiros pais desobedeceram a Deus, negaram sua dependência dEle e caíram de sua elevada posição abaixo de Deus. A imagem de Deus, neles, foi desfigurada, e tornaram-se sujeitos à morte. Seus descendentes partilham dessa natureza caída e de suas conseqüências.

"E disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança; e domine sobre os peixes do mar, e sobre as aves dos céus, e sobre o gado, e sobre toda a terra, e sobre todo o réptil que se move sobre a terra. E criou Deus o homem à sua imagem: à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou. E Deus os abençoou, e Deus lhes disse: Frutificai e multiplicai-vos, e enchei a terra, e sujeitai-a; e dominai sobre os peixes do mar e sobre as aves dos céus, e sobre todo o animal que se move sobre a terra"."E formou o SENHOR Deus o homem do pó da terra, e soprou em suas narinas o fôlego da vida; e o homem foi feito alma vivente".Gên. 1:26-28; 2:7;

"Que é o homem mortal para que te lembres dele? e o filho do homem, para que o visites? Pois pouco menor o fizeste do que os anjos, e de glória e de honra o coroaste. Fazes com que ele tenha domínio sobre as obras das tuas mãos; tudo puseste debaixo de seus pés: Todas as ovelhas e bois, assim como os animais do campo,as aves dos céus, e os peixes do mar, e tudo o que passa pelas veredas dos mares".Sal. 8:4-8;

"O Deus que fez o mundo e tudo que nele há, sendo Senhor do céu e da terra, não habita em templos feitos por mãos de homens; Nem tampouco é servido por mãos de homens, como que necessitando de alguma coisa; pois ele mesmo é quem dá a todos a vida, e a respiração, e todas as coisas; E de um só sangue fez toda a geração dos homens, para habitar sobre toda a face da terra, determinando os tempos já dantes ordenados, e os limites da sua habitação; Para que buscassem ao Senhor, se porventura, tateando, o pudessem achar; ainda que não está longe de cada um de nós;
Porque nele vivemos, e nos movemos, e existimos; como também alguns dos vossos poetas disseram: Pois somos também sua geração". Atos 17:24-28;

"Ora, a serpente era mais astuta que todas as alimárias do campo que o SENHOR Deus tinha feito. E esta disse à mulher: É assim que Deus disse: Não comereis de toda a árvore do jardim? E disse a mulher à serpente: Do fruto das árvores do jardim comeremos, mas do fruto da árvore que está no meio do jardim, disse Deus: Não comereis dele, nem nele tocareis para que não morrais. Então a serpente disse à mulher: Certamente não morrereis. Porque Deus sabe que no dia em que dele comerdes se abrirão os vossos olhos, e sereis como Deus, sabendo o bem e o mal. E viu a mulher que aquela árvore era boa para se comer, e agradável aos olhos, e árvore desejável para dar entendimento; tomou do seu fruto, e comeu, e deu também a seu marido, e ele comeu com ela. Então foram abertos os olhos de ambos, e conheceram que estavam nus; e coseram folhas de figueira, e fizeram para si aventais. E ouviram a voz do SENHOR Deus, que passeava no jardim pela viração do dia; e esconderam-se Adão e sua mulher da presença do SENHOR Deus, entre as árvores do jardim. E chamou o SENHOR Deus a Adão, e disse-lhe: Onde estás? E ele disse: Ouvi a tua voz soar no jardim, e temi, porque estava nu, e escondi-me. E Deus disse: Quem te mostrou que estavas nu? Comeste tu da árvore de que te ordenei que não comesses? Então disse Adão: A mulher que me deste por companheira, ela me deu da árvore, e comi. E disse o SENHOR Deus à mulher: Por que fizeste isto? E disse a mulher: A serpente me enganou, e eu comi. Então o SENHOR Deus disse à serpente: Porquanto fizeste isto, maldita serás mais que toda a fera, e mais que todos os animais do campo; sobre o teu ventre andarás, e pó comerás todos os dias da tua vida. E porei inimizade entre ti e a mulher, e entre a tua semente e a sua semente; esta te ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar. E à mulher disse: Multiplicarei grandemente a tua dor, e a tua conceição; com dor darás à luz filhos; e o teu desejo será para o teu marido, e ele te dominará. E a Adão disse: Porquanto deste ouvidos à voz de tua mulher, e comeste da árvore de que te ordenei, dizendo: Não comerás dela, maldita é a terra por causa de ti; com dor comerás dela todos os dias da tua vida. Espinhos, e cardos também, te produzirá; e comerás a erva do campo. No suor do teu rosto comerás o teu pão, até que te tornes à terra; porque dela foste tomado; porquanto és pó e em pó te tornarás. E chamou Adão o nome de sua mulher Eva; porquanto era a mãe de todos os viventes. E fez o SENHOR Deus a Adão e à sua mulher túnicas de peles, e os vestiu.
Então disse o SENHOR Deus: Eis que o homem é como um de nós, sabendo o bem e o mal; ora, para que não estenda a sua mão, e tome também da árvore da vida, e coma e viva eternamente, o SENHOR Deus, pois, o lançou fora do jardim do Éden, para lavrar a terra de que fora tomado. E havendo lançado fora o homem, pôs querubins ao oriente do jardim do Éden, e uma espada inflamada que andava ao redor, para guardar o caminho da árvore da vida". Gên. 3;

"Eis que em iniqüidade fui formado, e em pecado me concebeu minha mãe".Sal. 51:5;

"Portanto, como por um homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado a morte, assim também a morte passou a todos os homens por isso que todos pecaram.
Porque até à lei estava o pecado no mundo, mas o pecado não é imputado, não havendo lei. No entanto, a morte reinou desde Adão até Moisés, até sobre aqueles que não tinham pecado à semelhança da transgressão de Adão, o qual é a figura daquele que havia de vir. Mas não é assim o dom gratuito como a ofensa. Porque, se pela ofensa de um morreram muitos, muito mais a graça de Deus, e o dom pela graça, que é de um só homem, Jesus Cristo, abundou sobre muitos. E não foi assim o dom como a ofensa, por um só que pecou. Porque o juízo veio de uma só ofensa, na verdade, para condenação, mas o dom gratuito veio de muitas ofensas para justificação. Porque, se pela ofensa de um só, a morte reinou por esse, muito mais os que recebem a Abundância da graça, e do dom da justiça, reinarão em vida por um só, Jesus Cristo". Rom. 5:12-17;

"Isto é, Deus estava em Cristo reconciliando consigo o mundo, não lhes imputando os seus pecados; e pôs em nós a palavra da reconciliação. De sorte que somos embaixadores da parte de Cristo, como se Deus por nós rogasse. Rogamo-vos, pois, da parte de Cristo, que vos reconcilieis com Deus". II Cor. 5:19 e 20.

Veja aqui uma apresentação

sexta-feira, 15 de agosto de 2008

Assassinato, assassinos e provas assassinadas


Nesta semana morreu assassinado o presidente regional do Partido Democrata do Estado do Arkansas Bill Gwatney, como narra o registro no site de O Estado de S. Paulo: "A emissora de televisão THV, de Little Rock, informou que o presidente regional do Partido Democrata dos EUA no Arkansas, Bill Gwatney, foi hospitalizado em estado crítico depois de ser baleado várias vezes dentro da sede da agremiação no Estado. O atirador, descrito como um homem de cerca de 40 anos, foi perseguido pela polícia e baleado antes de ser detido. De acordo com a emissora, a balconista de uma floricultura situada diante da sede do Partido Democrata disse que a secretária de Gwatney entrou em sua loja por volta do meio-dia (11h em Brasília) e pediu que ela chamasse a polícia, porque um homem havia entrado na sede da agremiação e atirado várias vezes no dirigente partidário. O homem fugiu em uma caminhonete; perseguido pela polícia, ele foi baleado e preso perto da localidade de Sheridan. O motivo do ataque não foi revelado."

O curioso nesta história sangrenta é que Barack Obama, o candidato do partido, recebeu apoio de Carolyn Kennedy. Ela, filha do assassinado presidente Kennedy, nunca tinha se manifestado a favor de alguém na política. Mas deu apoio categórico a Obama, dizendo que ele ecoa o sentimento cívico de seu pai em seus discursos.

Esse assassinato demonstra que quando mudanças estão para ocorrer e ameaçar o status quo - como é o caso de Obama (não apenas por ser negro, mas por defender um projeto de país voltado para a seriedade de uma nação democrática que promove a paz e o desenvolvimento de todos, não apenas de alguns segmentos da sociedade de lá) -, forças ocultas agem.

Como todo assassinato típico de conspiração, o atirador fugiu e foi morto pela polícia "sem querer". O Dr. Paul H. Koch comenta que 18 testemunhas que diziam que Oswald não foi o único assassino de Kennedy foram misteriosamente mortas num período de três anos. Koch cita a opinião de um matemático do jornal Sunday Times (Inglaterra) de 1967, uma probabilidade de 100 trilhões para um.

O mesmo aconteceu no Brasil com Castelo Branco, JK, Tancredo, o prefeito Toninho de Campinas, SP; em Israel com Rabin, nada se descobriu apesar de Israel ser o país com os maiores especialistas de segurança. O estranho é que Rabin e Arafat estavam promovendo de forma séria a compreensão mútua entre palestinos e israelenses; mas depois do assassinato de Rabin os conflitos voltaram.

Isso só demonstra que a democracia anda por um fio; ninguém pode negar que forças muito hostis têm causado a morte de líderes que trabalhavam em prol de seus países. Resta aos vivos não desanimarem ante isso tudo; até porque os conspiradores não podem matar uma nação inteira que queira erguer em alto e bom som a civilidade, a boa fé e a coragem de lutar pelo que é justo e correto.

(Sílvio Motta Costa, professor em Campinas, SP)

quinta-feira, 14 de agosto de 2008

Esperança Para Viver

video

No dia 6 de setembro, serão distribuídas na América do Sul 20 milhões de revistas Viva com Esperança. Essa iniciativa da Igreja Adventista do Sétimo Dia foi chamada de Impacto Esperança. Assista o vídeo produzido e saiba um pouco mais sobra a Esperança.

Resistir à tentação fortalece o caráter


Depois de esbarrar com uma pessoa atraente as mulheres tendem a ficar ainda mais comprometidas, ao reforçarem sua relação atual com o amor de suas vidas. Mas os homens têm mais chances de verem suas namoradas de uma maneira mais negativa depois de um acidental e indesejável encontro com a tentação. Felizmente um homem comprometido pode resistir à sedução com um pouco de planejamento prévio, ao imaginar anteriormente como resistir à tentação de outra mulher. O psicólogo John Lydon, da Universidade McGill em Montreal, oferece esses resultados em um estudo publicado na edição de julho da revista científica Journal of Personality and Social Psychology. Um dos experimentos de John sobre a tentação descobriu que, depois de encontrar um homem atraente e disponível, as mulheres tinham mais 18% de chance de perdoar seu “parceiro romântico” que hipoteticamente teria revelado um traço embaraçoso ou mentido sobre o porquê teria recentemente cancelado um encontro. E os homens, depois de haverem conhecido uma mulher atraente disponível, tinham 12% menor chance de perdoar gafes comparáveis das suas parceiras.

Os homens podem parecer incapazes de resistir ao estrogênio extra, possivelmente porque eles interpretam suas interações com mulheres de maneira diferente do que as mulheres. Mas se os homens adotavam o ponto de vista feminino da tentação, eles poderiam desenvolver essa característica mais defensiva.

“Nós pensamos que se o homem pensa que uma mulher atraente e disponível é uma ameaça a sua relação atual, ele pode tentar proteger essa relação”, disse John.

Usando cenários de realidade virtual em outro experimento, os pesquisadores descobriram que o comprometimento dos homens pode não solucionar tudo. Mas se os homens imaginam uma reação conservadora, na próxima vez que se confrontarem com uma “outra” mulher atraente, eles podem estar melhor preparados para superar tentações futuras – assumindo que seja isso que eles realmente desejam.

“Mesmo que o homem seja comprometido com a sua relação”, disse John, “ele ainda pode necessitar formular estratégias para proteger sua relação ao evitar aquela mulher disponível e atraente.”

(Hypescience)

Nota: A melhor estratégia contra a tentação e a traição é alimentar o amor romântico no casamento e ter íntima comunhão com Deus, que é a fonte do amor verdadeiro. Essa pesquisa está de acordo com um conceito expresso há um século pela escritora Ellen White, segundo a qual a vitória sobre uma tentação torna o caráter mais forte e apto a resistir a uma segunda tentação.

terça-feira, 12 de agosto de 2008

Vingança



A vingança é uma reação natural diante das injustiças. Poderia até ser considerada justa, do ponto de vista humano. É natural pensar que quem faz algo prejudicial contra outrem deve receber o que merece. Mas o conselho bíblico de hoje é: “Não digas: Vingar-me-ei do mal.”

Dá a impressão de que Deus quer que você aceite passivamente as injustiças. Por que o justo deve suportar em silêncio o abuso do injusto? A segunda parte do provérbio de hoje traz a resposta. A vingança causa mais dano a quem pratica do que a quem a recebe.

Qualquer tipo de vingança, antes de ser uma realidade, é um coquetel de emoções negativas: ódio, raiva, rancor, ira, mágoa e desespero. Esses são sentimentos próprios do coração natural. Mas o fato de serem naturais não significa que sejam corretos. Ao contrário, é um aglomerado de veneno que destrói as coisas mais puras que o ser humano tem. É como ácido que corrói valores, princípios e principalmente a paz do coração. Por isso, a promessa é: “Ele te livrará.” A pessoa vingativa vive em escravidão.

Outro dia, li uma carta de um homem que matou o seu ex-sócio. Este havia se apoderado da empresa que era de ambos. “Eu confiei nele”, dizia a carta, “e ele me traiu.” Durante vários meses, a vítima do engano estudou a maneira de vingar-se. Foram meses de angústia, dor, vergonha, ódio, rancor e raiva, que o levaram a encomendar o assassinato do ex-sócio.

Lamentavelmente, hoje ele passa os dias, as semanas e os meses na cela de uma prisão. “Deveria estar feliz”, acrescenta na carta, “mas não estou. Meu coração continua sendo um poço de mágoa, raiva e ódio.”

Não digas: Vingar-me-ei do mal, espera pelo Senhor, e Ele te livrará. Prov. 20:22.

Por isso, o provérbio de hoje diz: “Espera pelo Senhor, e Ele te livrará.” Livrará do que, se a injustiça já foi cometida? Ele o livrará do ódio, do rancor e da raiva, que são os piores algozes que uma pessoa pode carregar. O pior dano que alguém pode fazer contra você não é o ato de injustiça em si, mas o veneno que deixa em seu coração e que vai destruindo sua vida lentamente.

Você pode escolher livrar-se desse veneno. Peça forças a Deus e: “Não digas: Vingar-me-ei do mal; espera pelo Senhor, e Ele te livrará.” Tenha um dia feliz, sem mágoa nem rancor.

segunda-feira, 11 de agosto de 2008

A chuva serôdia - Parte II


"Só podemos esperar um reavivamento em resposta à oração. Enquanto o povo se acha tão destituído do Espírito Santo de Deus, não pode apreciar a pregação da Palavra; mas quando o poder do Espírito lhes toca o coração, então os sermões não ficarão sem efeito” – Ellen White, Mens. Esc., vol. 1, p. 121.


Quais os passos para o recebimento da chuva serôdia?

I. Confissão (Jer. 3:13-15)
A. Acreditar que Deus poderá nos salvar em nossos pecados é a maior barreira para o recebimento do Espírito Santo. Aquela célebre frase "Deus odeia o pecado, mas ama o pecador" não pode ser esquecida.

B. A recusa de enfrentar algum pecado pessoal, a recusa de admitir que determinados pensamentos ou comportamentos estão impedindo nosso crescimento espiritual, faz com que seja impossível a nosso Deus conceder-nos a bênção do Espírito em toda a sua plenitude.

“Cada vez que o pecador tem que reconhecer sua culpa, ele mistura uma desculpa declarando que se não fosse por tal circunstância não teria feito o que agora lhe está sendo reprovado. Mas os exemplos bíblicos de genuí-no arrependimento e humilhação revelam um espírito de confissão que não busca qualquer desculpa para o pecado nem tenta a autojustificação” – Ellen White, Testemunhos para a Igreja, vol. 5, p. 641.

II. Humildade (Atos 4:32)
A. Pouca coisa pode ser mais terrível do que a ambição egoísta para desqualificar alguém para servir na causa de Cristo. Os membros e líderes arrogantes, orgulhosos, de olhar altivo, são um empecilho à imagem que as pessoas têm da Igreja de Deus.
1. Alguns vivem em busca por honras, cargos, posições, status. Alguns líderes esquecem do rebanho que lhes foi confiado para cuidar, e se consideram como donos deste, maltratando e oprimindo seus irmãos ou "subordinados".

B. Somente quando os discípulos deixaram de lado as desavenças pessoais e a busca por glória humana, foi que o Espírito teve acesse aos seus corações.

“Notai que só depois de haverem os discípulos entrado em união perfeita, quando não mais contendiam pelas posições mais elevadas, foi o Espírito derramado. Estavam unânimes. Todas as divergências haviam sido postas de lado” – Ellen White, Testemunhos Seletos, vol. 3, p. 211.

III. Arrependimento (Joel 2:12-17)
A. Arrependimento é tristeza pelo pecado e libertação desse pecado. Enquanto o pecador não sentir profunda tristeza pela dor que o seu pecado trouxe ao coração de Deus, então ele não pode dizer que está "arrependido".

B. Viver uma vida de arrependimento não significa passar todo tempo chorando pelos erros do passado. Mas sim uma freqüente e regular volta a Cristo, que é o único que nos pode livrar do pecado.

“Lembrem todos que Deus é santo, e que unicamente entes santos poderão morar em Sua presença” – Ellen White, Primeiros Escritos, p. 71.

IV. Oração (Atos 1:14)
A. Os discípulos não estavam preocupados em oração por uma experiência emocional, extasiante. Não era uma "reza" mecânica para receber algum bem material de Deus. Eles queriam ser abençoados para poderem abençoar a outros. É oração por um bem-estar espiritual que só o Espírito Santo pode conceder.

B. O tempo mais necessário da oração sincera seria o período da chuva serôdia (Zac. 10:1). E estamos vendo que este tempo já é chegado.
1. Os sinais dados por Jesus em Mateus 24 estão se sucedendo rapidamente.

“Devemos orar para que Deus descerre a fonte da água da vida. E nós mesmos devemos receber água viva. Oremos, pois, com coração contrito e com maior fervor, para que agora, no tempo da chuva serôdia, os chuvei-ros da graça sejam derramados sobre nós” – Ellen White, Testemunhos para Ministros, p. 509.

“Peçam os cristãos com fé a bênção prometida, e ela virá” – Ellen White, Evangelismo, p. 701.

V. Testemunho (Atos 1:8)

A. O principal propósito do dom do Espírito é o poder para testemunhar. O dom do Espírito não é para você ficar rico, ficar curado de todas as doenças, interpretar sonhos, fazer profecias, etc. O dom é dado para que a pregação do Evangelho seja fortalecida.

B. Por que Deus nos concederia mais poder, se o que Ele nos concede agora não está sendo usado para o avanço do evangelho? Muitos pedem que Deus lhes dê uma "porção dobrada" do Espírito Santo (um jargão muito usado por alguns), mas não fazem nada com a "porção" que Ele já concedeu. Para quê Deus daria mais? Seria desperdício de poder!

C. Por que Deus nos concederia mais talentos, se o que Ele já nos concedeu está enterrado, sem render nada?

“Quando tivermos uma consagração completa, de todo o coração, ao ser-viço de Cristo, Deus reconhecerá esse fato mediante um derramamento, sem medida, de Seu Espírito; mas isso não acontecerá enquanto a maior parte dos membros da igreja não forem cooperadores de Deus” – Ellen White, Serviço Cristão, p. 253.

CONCLUSÃO
Deus está ansioso para nos abençoar com o poder majestoso do Seu Espírito. Mas para isso acontecer, a Igreja precisa buscar, lutar, clamar pelo preparo necessário e essencial, e fazer sua parte!

Está você disposto a viver uma vida religiosa de conformidade com os ensinos divino, e buscar este preparo espiritual para receber o poder do Espírito Santo?

Fonte::Pr.Gilson Medeiros

A chuva serôdia


A palavra "serôdia" é a tradução do termo hebraico MALQOWSH, que aparece 6 vezes no AT (Prov. 16:15; Jer. 3:3; Osé. 6:3; Joel 2:23; e Amos 7:1 - este último, não com relação explícita à chuva, mas ao seu resultado). Esta chuva, chamada na Bíblia de "serôdia", ocorria entre os meses de março e abril, e servia para amadurecer os campos na Palestina, preparando-os para a colheita.

Historicamente, os Adventista fazem uma analogia entre a chuva serôdia "literal", e a chuva serôdia "espiritual", que, como mencionei acima, cremos que será uma dotação especial do poder do Espírito que servirá para capacitar e mover à Igreja para a última pregação do Evangelho, antes do selamento, das pragas e da volta gloriosa do Senhor Jesus.

I. Haverá um novo “Pentecostes” no tempo final da Igreja (Osé. 6:3)
A. No Pentecostes da Igreja Primitiva houve um preparo especial.
1. Os discípulos buscaram a preparação necessária para receber o poder do Espírito (cf. At 1:1-8). É uma OBRIGAÇÃO da Igreja Adventista hoje se preparar mais e melhor para o recebimento desta manifestação plena do Espírito Santo. Os cultos frior, monótonos e sem vida, bem como as orações ritualísticas, enfadonhas e mecânicas, precisam dar lugar à uma vida de consagração e evidente busca do poder de Deus.



“Se o cumprimento da promessa não é visto como poderia ser, é porque a promessa não é apreciada como devia ser. Se todos estivessem dispostos, todos seriam cheios do Espírito” – Ellen White, Atos dos Apóstolos, p. 50.


B. Como receber a chuva serôdia?
1. Amar ao Senhor de todo coração (cf. Deut. 11:13-14). Somente os que colocam Deus em primeiríssimo lugar (acima dos estudos, família, esportes, dinheiro, etc.) podem se dizer entre este grupo que O ama de TODO o coração.



2. Pedir o derramamento abundante do Espírito (cf. Zac. 10:1). Isso não significa apenas repetir aquelas "rezas" que freqüentemente vemos em alguns cultos, mas buscar o poder de Deus com o objetivo real e sincero de repartí-lo com outros, em especial com os que perecem nas trevas do pecado e da apostasia doutrinária. Não adianta "rezar" pela descida do Espírito Santo, enquanto, por exemplo, nossas comissões de igreja se reunem apenas para disciplinar membros ou discutir quanto será gasto na reforma do ar condicionado; Deus está esperando para ver Sua Igreja se levantar deste estado laodiceano, e ir em busca do pecador, onde ele estiver.


“O Espírito Santo virá a todos os que estão pedindo o pão da vida para dá-lo a seus vizinhos” – Ellen White, Testemunhos para a Igreja, vol. 6, p. 90.

“Ponham de parte os cristãos toda dissensão, e entreguem-se a Deus para a salvação dos perdidos. Com fé peçam a bênção prometida, e ela virá” – Ellen White, Testemunhos Seletos, vol. 3, p. 211.



3. Esperar com paciência e vigilância (Tiago 5:7-9). Isso quer dizer que não devemos nos desesperar se o Espírito ainda não veio, mas também não podemos nos acomodar achando que Ele só virá quando Deus quiser... porque Deus já quer há muito tempo.



II. A Ação do Espírito Santo no Tempo do Fim
A. Jesus explicou qual seria a obra do Espírito (João 14:15-18; 16:1-16). Ele traria ao mundo a certeza da existêncai do pecado, e que a única porta de salvação é a fé no sacrifício do Senhor e Salvador Jesus.



B. O Espírito Santo constrói a personalidade cristã em nós (cf. 2Co 3:17-18). O verdadeiro crente batizado no Espírito Santo demonstra em sua vida os atributos deste batismo. Ira, ciúmes, egoísmo, críticas, picuinhas, rivalidades, etc., nada diz faz parte da vida do crente batizado no Espírito Santo de Deus.


“A comunicação do Espírito é a transmissão da vida de Cristo. Reveste o que O recebe com os atributos de Cristo” – Ellen White, O Desejado de Todas as Nações, p. 805.



“Os que se acham sob a influência do Espírito de Deus, não serão fanáticos, mas calmos e firmes, isentos de extravagância em idéias, palavras e ações” – Ellen White, Obreiros Evangélicos, p. 289.


C. Produz os frutos de uma vida regenerada (Gál. 5:22-25). Talvez esta seja uma das evidências de que ainda precisamos buscar com mais dedicação o batismo do Espírito, em especial para a pregação nestes últimos dias. Ainda vemos muita falta de consagração entre nós (egoísmo, intrigas, ciúmes, vinganças, crueldade, etc.), o que mostra que ainda não tomamos consciência da gravidade da situação.

“Quando pusermos nosso coração em união com Cristo, e nossa vida em harmonia com Sua obra, o Espírito que caiu sobre os discípulos no dia de Pentecostes há de ser derramado sobre nós” – Ellen White, Serviço Cristão, p. 252.


III. Haverá uma Contrafação da Chuva Serôdia
A. Babilônia utilizará astúcia para enganar o povo
1. Grandes milagres serão realizados entre as igrejas apóstatas, produzindo um falso reavivamento (cf. Apoc. 13:11-14). É por isso que não podemos depositar nossa fé em milagres ou maravilhas sobrenaturais. A verdadeira fé não depende de milagres para se firmar. E o inimigo sabe disso, por isso ele tem operado tanta "cura" e "maravilhas" nas igrejas apostatadas da verdadeira fé apostólica.


“Por intermédio dos anjos, haverá constante comunicação entre o Céu e a Terra. E Satanás, circundado por anjos maus e alegando ser Deus, realizará milagres de toda espécie, para enganar, se possível, os próprios escolhidos. O povo de Deus não encon-trará sua segurança na realização de milagres; pois Satanás imitaria todo milagre que fosse efetuado. O provado e experimentado povo de Deus encontrará sua segu-rança e poder no sinal referido em Êxodo 31:12-18. Devem basear-se na Palavra viva: ‘Está Escrito’ Este é o único fundamento sobre o qual podem colocar-se com segurança. Os que quebraram seu concerto com Deus estarão naquele dia sem espe-rança e sem Deus no mundo” – Ellen White, Meditações Matinais (1995), p. 262.



2. Muitos prodígios serão realizados “em nome de Jesus” (cf. Mat. 7:21-23). Esta é uma das porções mais tristes da Bíblia, pois mostra a decepção que muitos falsos crentes enfrentarão quando forem confrontados no Tribunal de Cristo, e verificarem que suas igrejas apostatadas não tinham a unção do verdadeiro Espírito Santo.


IV. Como Identificar o Erro?
A. O verdadeiro Espírito é concedido aos que obedecem (cf. At 5:32)
Portanto, não podemos crer que uma comunidade de crentes que escolhem desobedecer a Deus, menosprezando Sua Santa Lei, como temos visto tão freqüentemente, seja agraciada com a dotação do Santo Espírito. A Bíblia é tão dura neste ponto que adverte de que até mesmo as orações destes falsos "crentes" são abominadas por Deus (cf. Prov. 28:9).



B. A Igreja de Deus possui 2 características principais (cf. Apoc. 14:12):
1. A fé em Jesus - uma Igreja, para se considerar a representante da Verdade de Deus, não pode pregar uma mensagem que retire de Jesus a personalidade Divino-Humana que a Bíblia dá a Ele, e muito menos diminuir Seu papel como mediador e único intercessor entre Deus e o pecador, uma vez que somente através do sacrifício perfeito e plenamente eficaz da Cruz do Calvário é que se abriu para nós a porta da graça de Deus.


2. A guarda dos 10 mandamentos - o Apocalipse é cristalino ao identificar a Igreja Verdadeira como aquela que guarda os mandamentos de Deus. Passando por esta "peneira", vemos que são poucos os que podem se considerar "santos" nos tempos em que estamos vivendo, pois a grande maioria despreza arrogantemente os mandamentos do Senhor, em especial o 2º e o 4º.


CONCLUSÃO
O maior poder do Universo está à disposição do povo de Deus para estes últimos dias. Um poder ainda maior do que o que revestiu os discípulos no Pentecostes – na chuva temporã.


Devemos nos preparar para recebermos este poder, se quisermos estar entre os que terminarão a obra do Senhor, antes de Sua vinda.

Fonte:Pr.Gilson Medeiros

sexta-feira, 8 de agosto de 2008

Um dia para aliviar estresse


O estresse foi chamado pela ONU de “mal do século”. De acordo com Marilda Novaes Lipp, psicóloga especializada em estresse, pela PUC de Campinas, essa doença pode causar envelhecimento precoce, obesidade, anemia, baixa imunidade, aumento da freqüência cardíaca, tensão muscular, palidez, alterações do sono, alterações da digestão, disfunção sexual, dermatoses, quadros alérgicos, baixa resistência a infecções, queda de cabelo, e a lista continua. Os sinais psicológicos deixados pelo estresse podem ser: sensação de incompetência, desmotivação, mania de perseguição e diminuição da capacidade de concentração.

Embora sejam muitos os fatores causadores do estresse e da depressão, muitos de nós sofremos destes males, simplesmente porque deixamos de ler o nosso MANUAL DE INSTRUÇÕES. Você já comprou algum equipamento e, na ânsia de utilizá-lo, simplesmente ligou-o na tomada, queimando-o? Então, em seguida leu alguma coisa no manual do proprietário que dizia: “Leia isto antes”?

Nós também temos um manual de instruções do Construtor. Deus que idealizou a nossa criação, deixou Sua Palavra para nos instruir sobre como devemos agir para que a máquina do nosso corpo não entre em colapso. A Bíblia faz exatamente isto! Nela nós encontramos dicas de saúde, de alimentação, de comportamento e de convívio familiar. Encontramos, também, a dica de Deus do dia antiestresse.



O Dia Anti-Estresse



Quer saber que dia é esse, e por que ele é chamado assim? Deus criou o mundo com um ciclo semanal de 6x1, ou seja: seis dias de atividades e um dia de descanso, como está escrito em Gênesis 2:1 - 3: “Assim foram concluídos os céus e a terra, e tudo o que neles há. No sétimo dia já havia concluído a obra que realizara, e nesse dia descansou. Abençoou Deus o sétimo dia e o santificou, porque nele descansou de toda a obra que realizara na criação.”

Pense e responda:

1) Que evento da natureza determina a duração de um dia?

Resposta: O movimento de Rotação da Terra, pois ela leva 24 horas para dar uma volta em torno do seu eixo.

2) O que determina a duração do ano?

Resposta: O movimento de Translação. O tempo que a Terra leva para dar uma volta em torno do Sol são 365 dias, ou seja, um ano.

3) Que evento natural determina a duração do mês?

Resposta: O ciclo lunar marcado pela trajetória da Lua em torno da Terra.

4) E qual o evento natural que determina a duração da semana?

Resposta: NENHUM. Entretanto, o ciclo semanal de sete dias é aceito em todo o mundo desde a antiguidade mesmo nos países não-cristãos.

Você não acha que isto é uma indicação de que foi Deus quem criou o mundo em seis dias e descansou no sétimo? Foi Ele que estabeleceu a semana de sete dias, o Sábado para o descanso e sempre os conservou assim, porque “o sétimo dia é o sábado do SENHOR, teu Deus”. Êxodo 20:10 – RA (Ver também Êxodo 31:13).



Quando Começa o Sábado?



Embora esta pareça uma pergunta boba, a primeira descoberta que faremos é que os dias não começam e terminam à meia-noite. Aliás, se fosse assim, como teria sido, quando ainda não existia relógio?

Na Bíblia descobrimos que o dia tinha as mesmas 24 horas, mas era dividido em duas partes de 12 horas sendo: 12 horas de claridade (por volta das seis horas da manhã até, aproximadamente, seis horas da tarde) e 12 horas de escuridão (por volta das seis horas da tarde às seis horas da manhã). Perceba que Jesus também usava esse tipo de contagem do tempo: “Respondeu Jesus: NÃO SÃO DOZE AS HORAS DO DIA?” João 11:9.

No livro de Gênesis, vemos que no princípio o dia era contado sempre a partir da tarde:

“Houve tarde e manhã, o primeiro dia.” Gênesis 1:5;
“Houve tarde e manhã, o segundo dia.” Gênesis 1:8, etc.
E, Levítico 23:32 nos mostra que a contagem e celebração do Sábado deve ser feita do mesmo jeito: “ SÁBADO de descanso solene vos será; ENTÃO... DE UMA TARDE A OUTRA TARDE, CELEBRAREIS O VOSSO SÁBADO.” (Grifo acrescentado). Sendo assim, esta é a maneira correta de celebrar o Sábado: do pôr-do-sol de sexta-feira até o pôr-do-sol de “Sábado”.

Mas será que isso tem alguma importância, ou o que importa é separar um dia e pronto?

Bem, se o dia não fosse importante, por que Deus seria tão específico em determinar:

O dia? Êxodo 31:17;
A hora de começar e terminar? Levítico 23:32;
O Sábado como um dos Dez Mandamentos? Êxodo 20:8-11.
VEJA SÓ QUE INCOERÊNCIA: hoje é comum começar a contar as horas de um novo dia, no meio da noite. Desta forma, assim como você diz “Boa tarde!” no meio do dia, você deve dizer “Bom dia!” a partir do primeiro minuto depois da meia noite. Não lhe parece estranho?

A mudança na maneira de contar os dias da semana (de meia-noite a meia-noite) dificultou muito a observância do quarto mandamento para aqueles que aceitam a maneira bíblica de contar o tempo. O dia de Sábado é um dia especial para recebermos as bênçãos de Deus, porque o próprio Deus o abençoou e santificou. De nenhum outro dia, se diz: “Santificou...” Gênesis 2:3.



O Que Fazer no Sábado?



O maior exemplo de como devemos aproveitar o Sábado vem do próprio Jesus. No sétimo dia, Ele:

· Fazia o bem a todas as pessoas: “... é lícito, nos sábados, fazer o bem.” Mateus 12:12 – RA.

· Visitava: “Certo sábado, entrando Jesus para comer na casa de um fariseu importante...” Lucas 14:1.

· Curava: “O dia em que Jesus havia feito lama e curado o homem da cegueira era um sábado.” João 9:14 – NTLH. Jesus realizou muitos outros milagres no Sábado. Veja alguns: a cura da sogra de Pedro (Marcos 1:21 e 29), a cura do paralítico (João 5:9) e do homem com a mão aleijada (Mateus 12:10).

· Passeava: “Naquela ocasião Jesus passou pelas lavouras de cereal no sábado. Seus discípulos estavam com fome e começaram a colher espigas para comê-las.” Mateus 12:1. (Colheram apenas para comer, igual a pegar frutas num pomar. Eles não estavam trabalhando).



O Que Não Fazer no Sábado?



Eu não gosto quando tiro um final de semana para passar com a família, e minha esposa gasta o tempo todo limpando, lavando e cozinhando. Se Deus tira um dia por semana para ficar conosco, precisamos também deixar de lado tudo que pode ser feito noutro dia da semana como, por exemplo, faxinas, consertos de casa, lavar o carro, ir ao supermercado, etc.

Deus se comunica conosco através da nossa mente. Ele sabia que precisaríamos de um dia para relaxar, para termos uma relação íntima com Ele. Deus sabia que a correria tomaria conta de nossa vida e que necessitaríamos de um dia para reabastecer nossas forças! Por isso, Ele separou o Sábado para estar conosco! “O sábado foi feito por causa do homem, e não o homem por causa do sábado.” Marcos 2:27. Portanto, “obedeçam às leis a respeito do sábado; não cuidem dos seus próprios negócios no dia que para mim é sagrado. Considerem o sábado como um dia de festa, o dia santo do SENHOR que deve ser respeitado. Guardem o sábado, descansando em vez de trabalhar; ...nem fiquem conversando à toa. Se me obedecerem, eu serei uma fonte de alegria para vocês e farei com que vençam todas as dificuldades; e vocês serão felizes... ” Isaías 58:13 e 14 - NTLH.

Afinal de contas, por que Deus criou o Sábado? “O Sábado foi feito por causa do homem...” Marcos 2:27. Jesus afirmou que Deus pensou EM VOCÊ quando criou o Sábado. Desde o princípio, o que Ele queria era passar mais tempo conosco. O Senhor do Sábado convida você, hoje, para um momento especial com Ele, 24 horas de descanso sob Sua proteção. Qual a sua resposta a este convite?

Ciência X Religião

video

Excelente vídeo, onde mostra a relação entre ciência e religião.

quarta-feira, 6 de agosto de 2008

Onde vivem os mortos


No rádio, tocava “Oceano”, de Djavan. Maurício viajava de São Paulo a Santos, e acabava de entrar no primeiro túnel da Rodovia dos Imigrantes. Foi quando sentiu um calafrio e ouviu:

- Ai! Gosto tanto desta música!

- Tia, o que a senhora está fazendo aqui? - disse Maurício, reconhecendo a voz.

- Ué?! Estou indo para a praia! - respondeu a tia, com naturalidade.

- Mas a senhora não pode! Está morta faz uma semana![1]



Tente acertar. De onde este texto foi extraído?

a) ( ) De um livro de auto-ajuda;

b) ( ) De um livro de Chico Xavier;

c) ( ) De uma revista que trata de assuntos científicos;

d) ( ) Da “Revista dos Espíritos”.



Se você assinalou a alternativa “c”, acertou!

O assunto da vida após a morte não é novidade, certo? Hoje em dia, ele é tão explorado que virou tema de novelas, filmes, jornais, conversas em bares e, por que não dizer, revistas com conteúdo “científico”? Existe um verdadeiro mutirão para tentar provar que existe algo dentro do ser humano que continua vivo quando ele morre. Aliás, isso é aceito por quase todas as pessoas, pois a maior parte das religiões, de uma maneira ou de outra, crê na existência da vida além do túmulo.



O Que é Morrer?


Segundo o dicionário Aurélio, “morrer” é “perder a vida; perecer”; e “perecer” é “deixar de existir; ter fim”. Curiosamente, para o Aurélio, morte é o fim da vida, é o desintegrar do corpo, o contrário da criação e da formação da vida. O interessante é que o primeiro passo nos leva ao segundo, ou seja, se a morte é o contrário da formação da vida, o certo é buscarmos na Bíblia o relato de como o homem foi formado. O que as Escrituras dizem sobre o assunto?

Está escrito que “formou o Senhor Deus o homem do PÓ DA TERRA, e soprou em suas narinas o FÔLEGO DE VIDA e o homem passou a ser ALMA VIVENTE.” Gênesis 2:7 – RA (Grifo acrescentado). Este termo “fôlego de vida” vem do original hebraico “nephesh”, que no grego é “pneuma” e significa o “sopro”, a “respiração”. Tais palavras são também, muitas vezes, traduzidas como “espírito”, tendo como principal significado “vento”. Em nenhuma dessas línguas originais o termo se refere a algo imaterial que continua vivo fora do corpo, ou que tem vida em si mesmo.

Deus formou o homem do PÓ DA TERRA (fez o corpo) e SOPROU em suas narinas o FÔLEGO DE VIDA (deu a respiração), e o homem passou a ser ALMA VIVENTE.

A Bíblia diz que o homem passou a SER uma alma e não que passou a TER uma alma. Se você tem um corpo e respira, você não TEM uma alma - você É uma alma! Para que exista vida, para que você seja um ser vivente, você precisa de Deus, porque o fôlego que existe em você provém dEle.

E aí? Surpreendente? Mas não é só isso!



O Que é “Espírito”?



O QUE ACONTECE COM O ESPÍRITO NO MOMENTO EM QUE A PESSOA MORRE? “O pó volte à terra, de onde veio, e o espírito volte a Deus, que o deu.” Eclesiastes 12:7.

Então, você poderia pensar: “Agora sim, as coisas se encaixam! O tal ‘espírito’ que volta para Deus é a entidade que tem vida após a morte!” Neste ponto, você deve lembrar de três aspectos:

a) “Espírito (nephesh ou pneuma)” é o “fôlego de vida”;

b) O que Deus deu foi o “fôlego de vida” (Gênesis 2:7);

c) Os mortos estão inconscientes: “Os vivos sabem que hão de morrer, mas os mortos não sabem coisa nenhuma... porque a sua memória jaz no esquecimento. Amor, ódio e inveja para eles já pereceram; para sempre não têm eles parte em coisa alguma do que se faz debaixo do sol.” Eclesiastes 9:5 e 6 - RA.

Portanto, “espírito” é o mesmo que “fôlego de vida”; e não algo consciente que sobrevive fora do corpo. Deste modo, Eclesiastes 12:7 pode ser traduzido assim: “o pó volte à terra, de onde veio, e o FÔLEGO DE VIDA volte a Deus, que o deu”.



E o Que Acontece Com a Alma?



Compare Gênesis 2:16 e 17 com Ezequiel 18:4 - RA.



“no dia em que dela comeres, certamente morrerás.”

“a alma que pecar, essa morrerá.”




Em Gênesis, Deus diz para Adão e Eva que se eles pecassem, morreriam. Como o salário do pecado para uma pessoa é a morte (Romanos 6:23), em Ezequiel, Ele reafirma que a alma que peca, morre. Para desilusão de muitos, a Bíblia afirma que a alma é mortal. No mesmo instante em que a pessoa morre, foi a alma quem morreu. Por quê? Porque alma é a junção: CORPO + RESPIRAÇÃO, ou seja, A PRÓPRIA PESSOA. Sendo assim, todos nós somos almas viventes!

Pense comigo: Se nós realmente tivéssemos uma alma imortal ou um espírito imortal, na verdade, seríamos imortais, não é mesmo? Mas a Bíblia fala que “o único que é imortal” é Deus (1Timóteo 6:16). Pelo fato de que só Deus tem a imortalidade, dependemos dEle em tudo, “pois NELE vivemos, nos movemos e existimos”. Atos 17:28 (Grifo acrescentado). Este texto é muito sério e importante, pois deixa claro que só haverá vida eterna para quem estiver em Cristo. Mas, se dependemos de Cristo para voltarmos a ter a vida eterna, por que a maioria das pessoas pensa que já possui alma ou espírito imortais?



Em Quem Acreditar? Em Deus ou na Serpente?


Logicamente, Satanás quer nos fazer perder a eternidade. Foi por isso que, depois que Deus disse que a humanidade se tornaria mortal ao pecar, a serpente afirmou: “Certamente não morrerão!” Gênesis 3:4. E quem tinha a razão? Paulo responde: “Portanto, da mesma forma como o pecado entrou no mundo por um homem, e pelo pecado a morte, assim também a morte veio a todos os homens, porque todos pecaram.” Romanos 5:12. Apesar da verdade divina revelada, o Diabo usa todos os seus meios para enganar quantos ele puder (Mateus 24:24; 2Coríntios 11:3). A primeira mentira, e o atual engano de Satanás é tentar fazer com que acreditemos que somos imortais, porque quem acreditar que é imortal, não sentirá a necessidade de receber a vida eterna do Salvador. Logo, sem Jesus, ninguém se salvaria.

Mas “quem tem o Filho, tem a vida; quem não tem o Filho de Deus, não tem a vida.” 1João 5:12. Você quer ser imortal? Gostaria que seus queridos também fossem imortais? Existe UMA saída: “Deus tanto amou o mundo que deu o seu Filho Unigênito, para que todo o que nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna.” João 3:16. Vida eterna é só pra quem crer em Jesus e O aceitar como Senhor de sua vida (Atos 4:12; Mateus 7:21-27). E se você não conseguir acreditar, faça como o homem desesperado que procurou a Jesus, pedindo: “ajuda-me a vencer a minha incredulidade!” Marcos 9:24.


[1] Revista Super Interessante, Ed. Abril, 03/07, pág. 53.

Crenças Fundamentais: Deus é o Criador


Deus é o Criador de todas as coisas e revelou nas Escrituras o relato autêntico de Sua atividade criadora. “Em seis dias fez o Senhor os Céus e a Terra” e tudo que tem vida sobre a Terra, e descansou no sétimo dia dessa primeira semana.

"No princípio, criou Deus os céus e a terra.E a terra era sem forma e vazia; e havia trevas sobre a face do abismo; e o Espírito de Deus se movia sobre a face das águas".Gên. 1;2;

"Lembra-te do dia do sábado, para o santificar.Seis dias trabalharás, e farás toda a tua obra,Mas o sétimo dia é o sábado do Senhor, teu Deus: não farás nenhuma obra, nem tu, nem teu filho, nem tua filha, nem o teu servo, nem a tua serva, nem o teu animal, nem o teu estrangeiro, que está dentro das tuas portas.Porque em seis dias fez o Senhor os céus e a terra, o mar e tudo o que neles há, e ao sétimo dia descansou: portanto, abençoou o Senhor o dia do sábado, e o santificou".Êxo. 20:8-11;

"Os céus manifestam a glória de Deus e o firmamento anuncia a obra das suas mãos.
Um dia faz declaração a outro dia, e uma noite mostra sabedoria a outra noite.
Sem linguagem, sem fala, ouvem-se as suas vozes. Em toda a extensão da terra, e as suas palavras até ao fim do mundo. Neles pôs uma tenda para o sol,que é qual noivo que sai do seu tálamo e se alegra, como um herói, a correr o seu caminho.A sua saída é desde uma extremidade dos céus e o seu curso até à outra extremidade deles; e nada se furta ao seu calor";"Pela palavra do Senhor foram feitos os céus, e todo o exército deles pelo espírito da sua boca. Porque falou, e tudo se fez; mandou, e logo tudo apareceu";"Bendize, ó minha alma, ao Senhor: Senhor, Deus meu, tu és magnificentíssimo, estás vestido de glória e de majestade.Ele cobre-se de luz como de um vestido, estende os céus como uma cortina.Põe nas águas os vigamentos das suas câmaras; faz das nuvens o seu carro, anda sobre as asas do vento.Faz dos ventos seus mensageiros, dos seus ministros, um fogo abrasador.Lançou os fundamentos da terra, para que não vacile em tempo algum.Tu a cobres com o abismo, como com um vestido: as águas estavam sobre os montes;À tua repreensão fugiram, à voz do teu trovão se apressaram.Sobem aos montes, descem aos vales, até ao lugar que para elas fundaste.
Limite lhes traçaste, que não ultrapassarão, para que não tornem mais a cobrir a terra.Tu, que, nos vales, fazes rebentar nascentes, que correm entre os montes.
Dão de beber a todos os animais do campo; os jumentos monteses matam com ela a sua sede.Junto delas, habitam as aves do céu, cantando entre os ramos.Ele rega os montes desde as suas câmaras: a terra farta-se do fruto das suas obras.Faz crescer a erva para os animais, e a verdura para o serviço do homem, para que tire da terra o alimento.E o vinho que alegra o coração do homem e faz reluzir o seu rosto como azeite, e o pão que fortalece o seu coração.Satisfazem-se as árvores do Senhor; os cedros do Líbano que ele plantou,onde as aves se aninham: quanto à cegonha, a sua casa é nas faias.Os altos montes são um refúgio para as cabras monteses e as rochas para os coelhos.Designou a lua para as estações: o sol conhece o seu ocaso.Ordenas a escuridão e faz-se noite, na qual saem todos os animais da selva.Os leõezinhos bramam pela presa, e de Deus buscam o seu sustento.Nasce o sol e logo se recolhem, e se deitam nos seus covis.Então sai o homem para a sua lida e para o seu trabalho, até à tarde.Senhor, quão variadas são as tuas obras! todas as coisas fizeste com sabedoria; cheia está a terra das tuas riquezas.Tal é este vasto e espaçoso mar, onde se movem seres inumeráveis, animais pequenos e grandes.Ali passam os navios; e o leviatã que formaste, para nele folgar.Todos esperam de ti que lhes dês o seu sustento em tempo oportuno.Dando-lho tu, eles o recolhem; abres a tua mão, e enchem-se de bens.Escondes o teu rosto, e ficam perturbados: se lhes tiras a respiração, morrem, e voltam para o seu pó.Envias o teu Espírito, e são criados, e assim renovas a face da terra.A glória do Senhor seja para sempre! Alegre-se o Senhor nas suas obras!Olhando ele para a terra, ela treme; tocando nos montes, logo fumegam.
Cantarei ao Senhor, enquanto eu viver; cantarei louvores ao meu Deus, enquanto existir.A minha meditação a seu respeito será suave: eu me alegrarei no Senhor.
Desapareçam da terra os pecadores, e os ímpios não sejam mais. Bendize, ó minha alma, ao Senhor". Louvai ao Senhor. Sal. 19:1-6; 33:6 e 9; 104;

"Pela fé, entendemos que os mundos, pela palavra de Deus foram criados; de maneira que, aquilo que se vê não foi feito do que é aparente".Heb. 11:3;

"No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus.
Ele estava no princípio com Deus.Todas as coisas foram feitas por ele, e, sem ele, nada do que foi feito se fez".João 1:1-3;

"Porque nele foram criadas todas as coisas que há, nos céus e na terra, visíveis e invisíveis, sejam tronos, sejam dominações, sejam principados, sejam potestades: tudo foi criado por ele e para ele;E ele é antes de todas as coisas, e todas as coisas subsistem por ele". Col. 1:16 e 17.

Veja aqui uma apresentação

terça-feira, 5 de agosto de 2008

As três faces do amor


A carta de amor, talvez a mais longa e mais simples, foi composta em 1875 por Mareei de Leclure, um pintor francês. Sua peça de amor continha uma frase: Eu a amo! 1.875.000 vezes. Mas este número representa apenas uma pequena parte das vezes que Eu a amo foi escrita ou falada na produção desta carta fora do comum. Mareei não escreveu a carta ele mesmo, mas contratou um escriba para escrevê-la. Segundo a tradição, Mareei ditou a carta, palavra por palavra. O escriba então repetiu cada frase para ele ao pô-la no papel. A frase Eu a amo! foi com efeito falada ou escrita 5.625.000 vezes durante a composição desta longa carta. Mareei estava apaixonado e queria que sua namorada soubesse!

Todos nós queremos ser amados. Nossa carência de amor é tão grande que ficamos frustrados e inseguros se nossa carência de amor não é satisfeita. Mas que é amor? Sugiro que há pelo menos três faces do amor à medida que ele amadurece.: a face "se", a face "porque", a face "apesar de". Estas faces surgem, conforme a nossa carência, os nossos desejos e as nossas motivações.

A face "se"

A face "se" é a mais fácil de reconhecer. A maior parte de nós já viu esta face do amor muitas vezes. Pelo melhor ela é manipulatória e pelo pior é destrutiva.

Wendy tinha 18 anos.* Ela estava assentada do outro lado da mesa com sua filhinha de dois anos no colo. Contou-me sua triste história do amor "se". Seu namorado a manipulou a ter sexo. Ele insistia: "Se você realmente me ama, é aceitável." Ela eventualmente cedeu. Wendy engravidou, e os pais do rapaz o forçaram a casar-se com ela. Agora ele vive correndo atrás de mulheres. Ela se tornou apenas sua governanta da casa e a babá. "Perdi todos os anos de minha adolescência!" soluçou, escondendo o rosto nas mãos.

Wendy sente profundamente o que seu marido lhe fez. Sente-se roubada e sem valor. Sente que foi forçada a se tornar mãe. Sua auto-estima é baixa; sua vida é miserável. Reconheceu demasiado tarde a face enganosa do amor "se".

Muitos casamentos têm como fundamento este tipo de amor. O amor "se" pode exercer uma força tão esmagadora que alguns deixam de reconhecer seu engano. O alvo primário deste amor não é a outra pessoa, mas o eu. O amor "se" se interessa apenas em satisfazer suas próprias necessidades e desejos. Muitos jovens são apanhados neste impulso egoísta de satisfação própria e reconhecem tarde demais que foram enganados.

Tragicamente, muitos pais oferecem apenas a face "se" do amor a seus filhos. Harry cometeu suicídio porque foi reprovado no vestibular de medicina. O amor "se" do pai alimentou sua depressão. Harry sabia quanto seu pai queria que ele fosse médico. Estava convencido de que se ele não conseguisse sê-lo, seu pai o rejeitaria. De preferência a testemunhar que seu pai não mais o amava, o jovem suicidou-se.

A face "porque"

A face "porque" do amor opera num nível mais agradável do que a face "se". Esta face valoriza a outra pessoa. Ela diz: "Eu a amo porque você é sensual; porque você é um 'doce'; porque você escreve poesia romântica; porque você trás segurança à minha vida; porque você tem boa prosa; porque você dirige um carro de classe" e assim por diante. Por alguma razão qualquer, o amor "porque" escolhe olhar uma segunda vez e avaliar o objeto de seu olhar. Oferece afagos positivos à pessoa sendo amada.

Não obstante, a face "porque" tende a promover competição e insegurança. Os que são objetos do amor "porque" sentem que precisam provar continuamente que são dignos de amor. Receiam perder a qualidade que os tomam amados. Uma jovem é amada porque é bonita. Um jovem é amado porque é atlético e bonito. Em alguns casos, o receio de rejeição futura pode mesmo impedir de desfrutar a face "porque" do amor no presente. As Escrituras nos lembram: "No amor não existe medo; antes o perfeito amor lança fora o medo. Pois o amor tem que ver com punição; logo aquele que teme não é aperfeiçoado no amor"(I João 4:18). Temor e amor não podem coexistir na mesma relação. Um amor que cria receio de fracasso não é verdadeiro amor.

Judy era jovem e bela. Tinha ganho muitos concursos de beleza no ginásio e era uma das meninas mais populares no campus da faculdade. Era noiva de um rapaz simpático. Mas um dia a tragédia ocorreu. Ao trabalhar na tinturaria de seu pai, o fluido inflamável explodiu e queimou seu rosto, peito e braços. Ficou tão desfigurada que não permitia que as ligaduras fossem removidas exceto na presença de seu médico.

Pouco depois do acidente seu noivo rompeu o noivado. Seus pais não podiam contemplar sua "rainha de beleza" desfigurada e raramente a visitavam no hospital. Mesmo quando falavam com ela pelo telefone, não era como antes. Dentro de poucos meses Judy faleceu, sem ter deixado o quarto do hospital. Não de complicações. Simplesmente desistiu de viver, pois a razão por que era amada foi-lhe tirada. Sua beleza foi-se.

A face "apesar de"

Esta espécie de amor simplesmente ama. Diferente da face "se", esta face não é baseada em motivação egoísta. Nada espera em troca. Diferente da face "porque", não depende do aspeto atrativo da outra pessoa. Olha além das boas e más qualidades e fita a alma. É capaz de amar mesmo quando rejeitada. Vê o belo no feio. Descobre valor infinito num ser finito. Olha com amor a todos a seu redor.

Onde achamos uma face tão amável? A expressão máxima deste amor é Jesus. Ele veio para amar a humanidade apesar de tudo. Veio para introduzir uma face de amor que faltava desde o Jardim do Éden. Trouxa a esta terra um amor incondicional, sem temores ou motivação egoísta.

Jesus não trouxe uma face do amor que diz: "Eu o amarei se você for uma boa pessoa. Eu o amarei se você me adorar. Eu o amarei se for um dizimista fiel." Nem trouxe Ele uma face do amor que arrazoa: "Eu o amo porque você ora cada dia. Eu o amo porque você vai à igreja cada semana." Tudo isto mede nosso amor a Deus, mas não mede o amor de Deus por nós.

Deus não impôs condições a Seu amor. Com efeito, "Deus prova seu próprio amor para conosco, pelo fato de Cristo ter morrido por nós, sendo nós ainda pecadores" (Romanos 5:8). Deus não espera até merecermos ser amados. Não há "se" nem "porque" no amor de Deus. Ele simplesmente ama! Ele é amor! Este amor continua ainda que não o mereçamos.

Jesus demonstrou o poder do amor tipo "apesar de" quando chorou pela morte de Lázaro. Os que o viram chorando disseram: "Vede quanto o amava!" (João 11:36). Isto era amor a despeito do que Lázaro fosse. Lázaro não merecia ser ressuscitado, mas Jesus o amava o bastante para chamá-lo da sepultura.

Que face é sua face?

Que face do amor você prefere? A face "se", com sua natureza manipulatória? A face "porque", que precisa ser ganha de novo cada dia? Ou a face "apesar de", que continua a amá-lo mesmo quando você parece não ser digno de amor?

Seria difícil imaginar um jovem propondo a sua namorada deste modo: "Benzinho, quero que você saiba que eu a amo apesar de suas muitas faltas. Eu a amo apesar de seus dentes tortos. Eu a amo apesar de sua disposição irritada. Eu a amo apesar de..." Não levaria muitos "apesar de" antes da relação chegar a um fim traumático. Poucos realmente querem ser amados "apesar de". Preferiríamos ser amados "por causa de".

Contudo, oculta atrás da face do amor "porque" está a raiz de todo legalismo religioso. Muitos querem que Deus os ame "porque" e não "apesar de". Por certo nossas boas obras devem valer algo. Por certo estas obras devem ao menos obter um apartamento com uma vista sobre a principal avenida do céu. É-nos difícil admitir que nada trazemos à relação exceto nossa carência. É-nos difícil compreender que Deus não tem razão para nos amar, mas Ele nos ama! É-nos difícil compreender que quaisquer mudanças que esta nova relação introduz em nossa vida sejam resultado direto de Seu amor "a despeito de" e não a causa de Seu amor. Precisamos reconhecer que nada que façamos fará com que Deus nos ame mais do que já nos ama. Deus é amor!

Jesus pleiteia conosco, "Assim como eu vos amei, que também vos ameis uns aos outros" (João 13:34). Este é realmente um mandamento fortalecido por um amor "apesar de". Somente uma tal dinâmica podia dar uma tal ordem e esperar obediência. Aprender a descansar no amor de Deus não significa ser relaxado em manter Suas normas. Ao contrário, significa ter confiança que "nem morte, nem vida, nem anjos, nem principados, nem coisas do presente, nem do porvir, nem poderes, nem altura, nem profundidade, nem qualquer outra criatura poderá separar-nos do amor de Deus, que está em Cristo Jesus nosso Senhor" (Romanos 8:38, 39).

O significado deste amor

Que significa ter e dar amor "apesar de"? Significa que você pode permitir que Cristo remodele sua vida sem a preocupação de que algum dia Cristo abandone Seu projeto de remodelação! Lança fora a insegurança e o medo de fracasso. Remove a ansiedade de rejeição. Significa que a gente não mais precisa competir ferozmente a fim de sentir-se amado. Não descredita o outro a fim de aumentar sua própria credibilidade. Não barganha com Deus a fim de ganhar Seu amor. Reconhece que Deus já nos viu em nosso pior e ainda nos ama. Significa não estar sob tensão constante ou não exigir nossos direitos por causa de nossa insegurança. Significa que podemos começar a partilhar amor do tipo "apesar de" com nossa família, amigos, vizinhos, colegas, membros de nossa igreja e até com aquela pessoa especial em nossas vidas.

Tammy era uma bela jovem esposa. Sempre tinha um sorriso prazenteiro. Agora ela jazia numa cama de hospital, depois de cirurgia para remover um tumor canceroso de seu rosto. A cirurgia tinha dado uma aparência grotesca a seu rosto, e seu sorriso jovial desapareceu para sempre. O cirurgião tinha feito seu melhor, seguindo cuidadosamente a curva de seu maxilar para esconder a cicatriz, mas o tumor era muito grande e a incisão profunda demais. Seu bisturi tinha cortado os nervos do lado direito de seu rosto. A operação tinha deixado o lado direito de sua boca repuxado num meio sorriso imóvel.

A jovem e seu marido fitaram o fundo do olho um do outro ao discutirem o futuro. Quando o cirurgião entrou, Tammy perguntou: "Minha boca será sempre assim?"

"Sim", respondeu o médico. "Receio que será. Para remover o tumor tive de cortar os nervos. Talvez nunca voltem a crescer. Sinto muito."

Tammy fitou o teto. Uma lágrima brotou de seu olho e deslizou silenciosamente em seu travesseiro. O marido tomou sua mão entre as suas. Seus olhos se encontraram, sondando e perguntando. Com um sorriso largo ele lhe assegurou amavelmente: "Benzinho, realmente gosto de seu sorriso. É gracioso."

Não é extraordinário saber que Deus ainda nos ama apesar de nosso sorriso torto?

segunda-feira, 4 de agosto de 2008

A Nova Era não é tão nova




Que é a Nova Era? Como se tornou um movimento de massa? Para onde vai? Qual deve ser a defesa cristã?
Você sabia que Bill Clinton passou a maior parte de suas férias do Natal de 1994 com Stephen Covey, o guru da Nova Era e autor de Sete Hábitos de Gente Ultra-eficiente? Ou você ouviu que a médium favorita da Rússia, Yevgenia Davitashvili, figura entre os conselheiros mais íntimos de Boris Yeltsin?
Naturalmente isto não quer dizer que o presidente dos Estados Unidos em seu próximo discurso no Congresso estará segurando um cristal que vibra, ou contemplando seu olho mágico, ao delinear sua política exterior. Também não quer dizer que Yeltsin está a ponto de declarar a Nova Era a religião oficial da Rússia. Não obstante, estas coisas têm significado.
Observe a obsessão de Hollywood com a Nova Era e Cientologia. O mundo observa com fascinação os semideuses de Hollywood e suas produções em mãos de Steven Spielberg, George Lucas, Nicole Kidman, Tom Cruise, Demi Moore, John Travolta, Mimi Rogers e Sharon Gless. Ninguém está dizendo que toda sua produção seja má ou necessariamente orientada pela Nova Era, mas sua tendência e influência são inevitáveis -- e significantes.
Da política ao entretenimento, da economia à gerência, do dólar à religião, a Nova Era se tornou uma força que não pode ser ignorada. Companhias multinacionais e universidades de renome incluem meditação yoga em seus programas e currículos. Pregadores e políticos admitem o uso do vocabulário da Nova Era em sua retórica. Astrologia e aconselhamento psíquico não são mais o apanágio de alguma vila supersticiosa; Nova York, Londres e Paris são seu novo hábitat.
Tudo isto não significa necessariamente que haja uma conspiração da Nova Era para conquistar o mundo. Dê ao diabo algum crédito por sua subtileza! Ele raramente é tão explícito.
A primeira coisa que podemos notar sobre a Nova Era é que seu conteúdo é vazio. Stephen Covey com seus Sete Hábitos distingue-se pelo uso repetitivo de termos como sinergia, paradigma e interdependente -- às vezes na mesma sentença. Exemplo: "Embora você não possa controlar os paradigmas de outros numa interação interdependente do processo sinérgico, um grau elevado de sinergia existe dentro de seu círculo de influência." Que significa tudo isto? Não se preocupe com o sentido; soa agradável, logo deverá ter um sentido. Contudo não há sentido, mas as "intuições holísticas, integradas, centradas em princípio" de Stephen Covey lhe granjearam uma fortuna.
Poderíamos dispensar tudo isto como palavreado, mas as questões que suscitam são sérias -- à nossa fé e à nossa vida -- e não podemos ignorá-las. O que é a Nova Era? Como se tornou um movimento de massa no final da década dos 80? Aonde vai a Nova Era? Qual deve ser a defesa cristã? Para responder a estas perguntas, precisamos cavar os antecedentes, traçar uma linha através da história recente, entender seus gurus, e recorrer às profecias daquele antigo Livro que ilustra a cena final.

Que é a Nova Era?
Definir a Nova Era não é fácil. Existe uma variedade de livros sobre a Nova Era, programas de televisão, filmes e músicas influenciadas pela Nova Era. Existem numerosos adeptos da Nova Era, e os que se encontram sob a influência do pensamento da Nova Era. Contudo, muitos deles, ou talvez a maioria deles, desde 1990, têm resistido à etiqueta da "Nova Era". Deve-se admitir que há muitas faces e fases da Nova Era, e poucos aceitariam a definição que vou dar. Com efeito, algumas faces são agradáveis, e muitos adeptos estão na periferia do envolvimento e resistiriam à idéia de que a Nova Era tenha um cerne de ocultismo.
Não obstante, precisamos tentar defini-la...
A Nova Era é o sincretismo religioso por excelência; que absorve e tenta reconciliar um espectro tão amplo de crenças, práticas, teorias e superstições de muitas faces e muitos adeptos. A Nova Era:
• Leva a bordo todo o conceito da astrologia, até o ponto de utilizar seu nome.
• É holística em vários sentidos. Quer ver a remoção de todas as fronteiras no mundo, tanto religiosas como nacionais, e quer unificar a mente, o corpo e o espírito num conceito integrado do indivíduo. Está comprometida com medicina alternativa e várias formas de terapia e pseudo-psicologia. Aspira ter contato com forças universais excluídas ou condenadas pela tradição judaico-cristã.
• Utiliza do budismo o conceito do "deus interior". A reverência que seus adeptos mostram pela unidade do ser humano e da criação, e o modo como personaliza a Natureza em expressões como "Mãe Terra", os impelem ao panteísmo.
• Do hinduísmo ela adota a reencarnação e técnicas de meditação. A reencarnação dispensa pecado e julgamento, oferecendo uma série de vidas nas quais se livram do "karma" negativo; e técnicas de meditação que são usadas para fazer da mente "uma posse vazia".
• Recicla muito do espiritismo do século XIX. Adeptos da Nova Era propõem a idéia de que "iluminados" vivos tornam-se "canalizadores" (médiuns) para "iluminados" falecidos, "mestres" ou "cristos". Assim os adeptos mais destacados terão o poder de "canalizar" algum "mestre" ou "guru" falecido.
A raiz original do movimento combinando hinduísmo, budismo e o ocultismo se encontra na Sociedade Teosófica de Mme. Helena Blavatsky, fundada nos Estados Unidos em 1875. Mas não é provável que a Sociedade Teosófica jamais tivesse mais de cem mil adeptos. Agora a Nova Era espalha-se pelo planeta como um miasma, contando milhões entre seus adeptos.

Como a Nova Era se tornou um movimento de massa?
Durante a era da Guerra do Vietnã, a geração dos anos 60 tornou-se pacifista, beatniks, hippies e filhos das flores. Os flautistas desta geração foram os Beatles. No final da década as palavras absurdas de suas primeiras canções cederam lugar a mensagens esotéricas. Tinham começado a passar verões em ashrams na Índia aos pés de gurus. No auge de sua popularidade nas nações ocidentais, George Harrison e John Lennon estavam introduzindo a sabedoria esotérica do Oriente nas melodias de seus discos vendidos aos milhões.
Subitamente o vocabulário do hinduísmo e do budismo estava na moda; reencarnação, yoga, meditação transcendental e outros.
No começo dos anos 70, os gurus partiam da Índia para os Estados Unidos com passagem somente de ida. Em todas as nações ocidentais a canção "Hair" estava no ar. Todo mundo estava cantando "É o raiar da era de Aquário...", poucos entendendo o que significava.
A geração psicodélica dos anos 70 aceitou as premissas dos beatniks dos anos 60, e edificou sobre elas. Qualquer um da vanguarda praticava meditação transcendental. Havia yogas para todas as ocasiões: yoga mantra, yoga sidhi e yoga tantra. A astrologia tornou-se a indústria de maior crescimento.
Nos terrenos das universidades ocidentais mais pessoas acreditavam na reencarnação do que na ressurreição.
Com o passar do tempo, tornou-se aparente que além da religião oriental e astrologia, o ocultismo também estava envolvido no novo movimento.
Pessoas como o ocultista britânico Benjamin Creme e o cientologista norte-americano L. Ron Hubbard não podiam acreditar que suas idéias vetustas subitamente estivessem na moda. Creme cunhou o termo "Nova Era" por volta de 1977, anunciando que pelo fim do milênio a era do Peixe (cristianismo) seria substituída pela era de Aquário (a Nova Era), na qual um novo messias presidiria sobre uma nova ordem mundial.
Foi necessário o materialismo crasso dos anos 80 -- Thatcherismo, Reaganismo, o Milton Friedmanismo -- para fazer da Nova Era um movimento de massa. A cultura Yuppie era uma dieta inadequada para o espírito humano e as pessoas reagiram. Ao passo que na Europa Oriental o público passou do comunismo para o cristianismo, no Ocidente, uma espiritualidade pagã ganhava terreno. A Nova Era tinha, com efeito, se tornado uma religião bem talhada para uma geração com evidente falta de idealismo político, com opinião desgastada do cristianismo, que tinha perdido sua orientação.

Para onde vai a Nova Era?
Benjamin Creme é enfático em dizer que o Senhor Maitreya aguarda o momento de presidir sobre a nova ordem. Ele será, diz Creme, uma combinação do Cristo que volta, esperado pelos cristãos, do Messias esperado pelos judeus, do Imam Mahdi esperado pelos muçulmanos, o Krishna esperado pelos hinduístas e o novo Buda esperado pelos budistas. Os anos que precedem o ápice dos milênios serão decisivos.
Mas para nós a questão decisiva agora é: Que dizem a Bíblia e o Espírito de Profecia sobre esta questão?
• Em Seu sermão escatológico registrado em cada um dos evangelhos sinóticos, Jesus profetizou a vinda de "falsos cristos e falsos profetas" nos tempos do fim; bem como vindas em lugares secretos ou no deserto. Em II Tessalo-nicenses 2:9-12, Paulo prediz que o aparecimento do "homem do pecado" seria acompanhado por todo "poder, e sinais e prodígios da mentira" e "com todo engano".
• Apocalipse 13:13 indica que grandes sinais acompanhariam as atividades das duas bestas na cena final. A presença do "dragão" no triunvirato maligno que operaria contra o povo de Deus (Apocalipse 16:13-15) indica que Satanás se envolverá diretamente no conflito final com o povo de Deus; demônios, de algum modo, operando direta- mente no grande conflito final.
• O capítulo 34 de O Grande Conflito delineia o papel dos demônios. Uma amplificação maior é provida: "Aparições terríveis de um caráter sobrenatural..." A descrição culmina nas palavras: "Como ato culminante do drama de engano, Satanás mesmo personificará a Cristo".
Poderia o movimento da Nova Era ser quem facilitará esta intervenção satânica?

Qual é a defesa do cristão?
Um efeito positivo que o movimento da Nova Era tem tido sobre a igreja cristã é que ele fez com que muitos evangélicos reexaminassem as doutrinas da imortalidade da alma e do fogo eterno. Em seu livro Essentials (Hodder, 1988), o evangélico preeminente se declara contra ambas. A imortalidade da alma, ele reconhece, tem aberto espaço no quadro que a Nova Era preenche. O professor John Hick, em Death and Eternal Life (Macmillan, 1982), deriva os conceitos gêmeos da imortalidade da alma e de um inferno eterno da religião primitiva e da mitologia greco-romana.
Mas o apóstolo Paulo delineia a melhor defesa cristã contra a Nova Era. No mundo do primeiro século, Éfeso era o centro do ocultismo. Era, nas palavras de Shakespeare, cheia de "feiticeiros que operam no escuro". Algum tempo depois de sua estada de três anos na cidade, e apesar da fogueira de livros de magia (Atos 19:19), Paulo ainda sentia a necessidade de lembrar aos efésios que "nossa luta não é contra o sangue e a carne, e, sim, contra principados e potestades, contra os dominadores deste mundo tenebroso, contra as forças espirituais do mal".
E isto descreve bem a Nova Era. Enquanto comentaristas procuram os protagonistas -- políticos, gurus, professores, magnatas de Hollywood -- de conspiração da Nova Era, os conspiradores reais escapam da identificação. Não são seres de carne e sangue. São "entidades" possuídas de uma inteligência infinitamente maior. O conspirador principal é o próprio Satanás. O objetivo da conspiração é influenciar nossas mentes pela educação e a mídia, restringir nossas liberdades através de políticos velhacos e poderes político-religiosos, tentar destruir o povo de Deus e imitar a segunda vinda de Cristo. Estereotipamos ou ignoramos esta ameaça para nosso risco.

Fonte:David Marshall (Ph.D., Universidade de Hull) é editor-chefe da Casa Publicadora de Stanborough, Inglaterra, e autor de muitos artigos e livros.