quinta-feira, 21 de junho de 2007

Judeu ultra-ortodoxo é detido com bomba caseira antes de parada gay


A Polícia israelense deteve um habitante do bairro judaico ortodoxo Mea Shearim, em Jerusalém, descoberto com uma bomba de fabricação caseira, e outros quinze suspeitos de querer sabotar a Parada do Orgulho Gay, realizada na tarde desta quinta-feira.

O detido disse à Polícia que o propósito da bomba era impedir que as pessoas participassem do evento.

Mickey Rosenfeld, porta-voz da Polícia, disse à agência Efe que mais de sete mil agentes estão percorrendo vários setores da cidade, entre eles o bairro ultra-ortodoxo de Mea Shearim, onde houve nos últimos dias manifestações violentas e a queima de objetos como protesto contra a parada.

Mais de mil ultra-ortodoxos participam de atos de protesto perto da entrada da cidade. Outro grupo de judeus religiosos está em frente à residência do prefeito, o ortodoxo Uri Lupolianski.

Em vários pontos da Cidade Santa, vários ultra-ortodoxos atiram arrojaram pedras nos policiais. Não há notícias de feridos nos incidentes, segundo a rádio pública.

Dois opositores à parada gay entraram hoje com um pedido no Tribunal Supremo de Justiça israelense para que impedisse a realização do evento, com o argumento de que o corpo de bombeiros presta serviços mínimos. A solicitação não foi aceita.

Para evitar distúrbios, dezenas de ônibus, viaturas policiais e ambulâncias estão estacionados nos arredores do parque onde acontece a Parada do Orgulho Gay.

A Polícia também mantém isolados vários pontos da cidade, como o centro, para impedir que grupos de ultra-ortodoxos se aproximem.

Fonte:http://noticias.uol.com.br/ultnot/efe/2007/06/21/ult1766u22362.jhtm

Um comentário:

mota.-grande disse...

as religiões fazem dos seres pensantes verdadeiros zumbis ou seja sem vontade propria do seu ser todos os lideres religiso tem por objetivo o controle de imediato sentimental e por fim financeiro e pessoal, resumindo toda e qualquer religiaõ é um lixo, pois o proposito deus e diabo torna-se o foco para o controle e o dominio quse sempre das massas pobres.