quarta-feira, 4 de novembro de 2009

Série Especial - "Entrevista Gilson Medeiros"


Prof. Gilson Medeiros formado pelo Seminário Adventista de Teologia do IAENE. Autor do livro "101 Razões Porque Sou Adventista do 7º Dia". Hoje atua como professor e coordenador do Instituto de Desenvenvolvimento Acadêmico e da ELPIS Escola de Teologia Adventista. Casado há 11 anos com Marta Sousapai de duas filhas Amarílis e Iris. Prof. Gilson Medeiros mantém o blog "Prof Gilson Medeiros" Ele nos concedeu essa entrevista exclusiva. Veja a seguir.

ADVIUS - Olá pr.Gilson, vou iniciar com pergunta difícil, o povo do Senhor na sua visão tem estudado a Bíblia como deveria? Ou apenas lêem o Livro Sagrado como qualquer outro?

GILSON MEDEIROS - Tenho visto que muitos dos problemas doutrinários que enfrentamos hoje (Trindade, Dízimo, Santuário, Espírito de Profecia, Reavivamento, etc.) são resultado da negligência que alguns têm dado ao estudo sistemático, contínuo e regular da Palavra de Deus. Poucos têm lição da Escola Sabatina, poucas famílias assinam a Revista Adventista, pouquíssimos são os que estudam os Testemunhos de Ellen White, etc. Como resultado estamos sentindo a frágil fé por parte de muitos irmãos. Na minha opinião, se déssemos mais atenção aos estudos destes materiais que mencionei acima, não estaríamos vendo tanta gente sendo enganada com estes “ventos doutrinários” apóstatas que têm tomado conta de algumas congregações, pois o povo estaria “vacinado” contra aqueles que questionam doutrinas tão básicas e fundamentais, como estas que citei anteriormente.

ADVIUS - Pr. Você como jovem deve ter muitos desafios no cotidiano, na sua opinião qual o grande desafio do jovem do séc XXI?


GILSON MEDEIROS - Um dos grandes desafios da juventude cristã moderna é não se deixar influenciar pelo secularismo, em todas as suas manifestações. Os jovens são “desafiados” a viverem em um mundo que não quer seguir a Deus, em uma sociedade que acha que toda verdade é relativa e que não há um “padrão absoluto” a ser seguido. Por causa disso, cada um acredita poder escolher onde, como e quando viver a sua fé. Para um jovem que deseja seguir o modelo bíblico, o mundo atual é uma verdadeira “guerra”, pois tudo caminha na direção oposta à vontade divina. Seja nas novelas, nos filmes, nos comerciais de TV, nos livros, revistas, etc., tudo é determinado por padrões totalmente contrários aos ditames da Palavra de Deus, por isso nossos jovens precisam ter uma fé muito, muito forte para não se deixarem influenciar por aquilo que os afastará de Deus.

ADVIUS - Diariamente no seu blog, você tira inúmeras dúvidas de leitores, isso se dá principalmente pela falta de estudo da Bíblia ou é apenas um reflexo de nossa sociedade que tentar pôr diversas dúvidas nas pessoas?

GILSON MEDEIROS - Acho que um pouco das duas coisas. Se por um lado há muita gente que tem “sede” de aprender mais de Deus e de fundamentar melhor sua fé (cf. 1Ped. 3:15), também há aqueles que gostam de procurar na Bíblia alguns “ganchos” em que pendurarem seu ceticismo e falta de submissão à Palavra de Deus. Também percebo que muitas das dúvidas que são enviadas são respondidas constantemente nas edições da Revista Adventista e nas Lições da Escola Sabatina, porém, como mencionei acima, poucos de nós lemos este maravilhoso material, e por isso ainda permanecemos com dúvidas que já poderiam ter sido abolidas de nossa mente.

ADVIUS - Temos vistos nestes últimos tempos diversos movimentos dissidentes dentro da IASD o que acontece para tais movimentos estarem ganhando força dentro dos bancos?

GILSON MEDEIROS - Com certeza absoluta não é por termos problemas com nosso corpo doutrinário. As doutrinas fundamentais da Igreja Adventista, todas elas, receberam o aval divino, e por isso estão acima de “adaptações” ou “melhorias”. O que observo é que estes que se levantam contra a Igreja, quase sempre, fazem isso após alguma decepção pessoal com a organização. Não com a “doutrina” em si, mas sim com as pessoas que dirigem a Igreja ou suas instituições. Percebo que os pontos doutrinários são apenas desculpas para encobrir mágoas e ressentimentos com pastores, administradores ou líderes em geral. Talvez, como líderes de uma organização religiosa formada por seres humanos, nossos dirigentes deveriam ser mais atenciosos para não cometerem erros que pudessem provocar este tipo de ressentimentos, crítica e rancor, que acabam se refletindo na apostasia pessoal e no ataque, equivocado, contra a Igreja do Senhor. Por outro lado, também não acho certo transformar um ressentimento pessoal contra a administração da Igreja em motivo para começar a minar a fé do povo do Advento, seja através de livros, sites ou outro tipo de manifestação que venha a trazer escândalo, dúvida e descrédito para com a mensagem da Igreja Adventista do 7º Dia. Mas, o Juiz está sentado em Seu trono, e saberá intervir onde e quando Ele julgar necessário.

ADVIUS - Estamos vivendo no limiar deste mundo, os ataques satânicos estão maiores, qual é o principal ataque na atualidade?

GILSON MEDEIROS - Como já nos foi predito, o principal ataque do inimigo será contra a Lei do Senhor. Estamos vendo um crescente movimento nos “bastidores” para que as pessoas se voltem cada vez mais para o espiritualismo (o espiritismo em todas as suas “faces”) e a negligência para com os mandamentos de Deus. E quando menciono isto não me refiro, apenas, ao sábado, mas também aos demais mandamentos. Vejam que as produções cinematográficas, as novelas, a moda, as novas correntes filosófico-teológicas, etc., tendem a levar as pessoas para o adultério, o homossexualismo (mesmo que “velado”), a cobiça, a idolatria (basta ver o que fazem com os jogadores de futebol no nosso país), a ira, as desavenças familiares, a desonra à Pessoa de Deus, etc. Em suma, Satanás está jogando todas as suas “fichas” nas duas maiores armadilhas para o ser humano de hoje: imortalidade da alma e transgressão aos mandamentos do Senhor. Temos que agradecer a Deus por nos ter advertido contra isso há décadas atrás, através dos escritos inspirados saídos das mãos de Ellen White.

ADVIUS - Como se deu a sua conversão?

GILSON MEDEIROS - Eu sempre fui uma pessoa “do bem” (rsrs), ou seja, nunca gostei de fumar, bebidas alcoólicas, farras, etc. Talvez por isso, eu também não sentia a necessidade de Deus na minha vida. Como eu sempre tive uma mente muito voltada para as ciências exatas, eu não acreditava em diversos fatos da Bíblia, pois os considerava “ilógicos”. Se algo não pudesse ser compreensível, provado, então não era interessante para mim. Ou seja, fé era algo que eu desconhecia. Quando eu estava concluindo o Ensino Médio na Escola Técnica Federal do meu Estado (hoje Instituto Federal do RN), eu fui convidado a fazer um curso bíblico por correspondência. Na época eu tinha 19 anos de idade, e só pensava em fazer vestibular para Engenharia Civil ou Direito (não me perguntem o que uma área tem a ver com a outra...rsrs). Aceitei o convite, não por desejo de conhecer a Bíblia, mas porque o estudo me foi oferecido por um amigo sincero (vejam a importância do evangelismo relacional!). Deus, então, colocou na minha vida uma pessoa que era igual a mim: mente ágil, pesquisadora e questionadora. Foram vários meses de luta, para que o Clóvis (o meu “pai na fé”) conseguisse me mostrar a beleza da religião, da fé Adventista e do amor de Deus por mim. A Pessoa da Trindade que é especialista em capacitar instrutores bíblicos (o Espírito Santo) escolheu direitinho aquele que deveria ser meu guia no encontro de Jesus. Graças a esta “equipe” maravilhosa (o Espírito Santo, o João Maria – que me ofereceu o estudo, e o querido Clóvis – que hoje é professor doutor da UFRN) eu fui batizado durante a campal de jovens da Missão Nordeste, realizada pelo Pr. Venefrides no ano de 1994. Na Igreja, Deus me apresentou àquela que seria minha esposa, e que me daria duas lindas filhas, e também me apresentou à minha nova e muito amada família – o povo Adventista do 7º Dia.

ADVIUS - Muitos jovens tem o sonho de serem pastores e muitos não conseguem por diversos fatores. Mas qual deve ser a atitude de um jovem que pretende ser pastor um dia?

GILSON MEDEIROS - Ser pastor Adventista é um tremendo privilégio. É como diz um grito de guerra que os Desbravadores costumam utilizar: “Muitos querem, mas não podem; outros podem, mas não querem”. Creio que o ministério é a melhor escolha de vida que um jovem poderia almejar, apesar de que os desafios são imensos. Um pastor Adventista vive exclusivamente em função de seu ministério, não podendo ter qualquer outro meio de manutenção pessoal, portanto não é uma “profissão” para quem não tem espírito de humildade, submissão e amor ao Evangelho.
Basicamente, o que eu digo quando algum jovem me procura para saber o que deve ser feito para se tornar pastor Adventista, é que ele seja humilde à direção divina. Se Deus, verdadeiramente, o estiver chamando ao ministério, com absoluta certeza eu digo que é Ele mesmo, o Senhor, quem abrirá as portas. E sabemos que quando Ele abre, nada nem ninguém pode fechar!
Portanto, se você está mesmo disposto a seguir o ministério, deixe que Deus o conduza nesta jornada. Seja um bom líder de Igreja, um bom evangelista, um bom missionário, um bom colaborador da Obra de Deus, e, se Deus quiser que você faça parte desta última geração de pastores, Ele encontrará a maneira correta de ter avisar isso.

ADVIUS - Qual o maior desafio para o evangelismo?

GILSON MEDEIROS - Talvez seja o descrédito para com a religião, que está sendo incutido no coração de muitas pessoas hoje em dia. Vemos igrejas e mais igrejas se levantarem unicamente para arrancar o dinheiro do povo, baseadas apenas na teologia do “toma lá, dá cá”. São líderes carismáticos que montam verdadeiros impérios através da ignorância, humildade e fragilidade das pessoas mais pobres.
Por isso tudo, quando se inicia um trabalho de cunho evangelístico (seja através de conferências ou de estudos bíblicos de casa em casa), as pessoas já estão arredias e precavidas, imaginando que todas as igrejas são iguais (e que todo pastor é ladrão!). Quando conseguimos vencer esta barreira inicial, e temos êxito em trazer as pessoas para o estudo da Palavra de Deus, então elas percebem que os Adventistas são diferentes, que só querem o bem delas, e o Espírito Santo consegue, então, trabalhar nos seus corações.

ADVIUS - Para finalizar, qual a mensagem que você deixa para os que ainda não se decidiram por Cristo?

GILSON MEDEIROS - Estude sobre a Pessoa de Jesus. Sobre Seu amor. Sobre Seu sacrifício. Sobre Seu ministério. Não pense, primeiro, nas doutrinas, pois a tendência é aquela velha sensação de que estará “perdendo” algo (festas, emprego, amizades, etc.). Tome tempo para ler algum livro que fale do amor de Deus por você, pela humanidade. Depois de se encantar com o amor de Deus por nós, não há como ficar longe dEle, e todas as doutrinas que Ele nos pedir para crermos e seguirmos serão “fichinhas”, pois o grande prêmio é a certeza de fazer parte da família de Deus, ser um dos Seus filhos. Como sugestão eu apresento o livro que mudou minha história de fé: o Desejado de Todas as Nações. Leia os Evangelhos acompanhado deste livro, e você verá que Deus maravilhoso é o nosso, pois derramou Seu sangue precioso apenas por amor... a mim... e a você.

6 comentários:

Anônimo disse...

buy generic valium valium package insert - what is valium high like

Anônimo disse...

Não

Anônimo disse...

Não tenho nada contra os adventistas, mas uma coisa me chama atenção, creio que de outras pessoas também. O exclusivismo mostrado por boa parte deles chega a ser chocante! Se consideram os únicos detentores da verdade e menosprezam as pessoas que buscam a Deus em outras denominações cristãs. Acho que a fé em Cristo deveria unir as pessoas, mas infelizmente, hoje vemos cada um puxando a sardinha para seu lado (católicos, espíritas, protestantes etc)causando assim rivalidades e segregação. Nas respostas ele (adventista) dá a entender que todos os pastores não adventistas são corruptos e gananciosos e que todos os pastores adventistas são honestos e 100% corretos! Olha, eu penso assim: há pastores não adventistas íntegros e comprometidos com a Obra de Deus, nem todos estão envolvidos em escândalos. E com certeza há os pastores adventistas mais preocupados com status social, dinheiro do que com a Palavra de Deus, é claro que há os honestos, mas será que todos são tão perfeitos como os adventistas gostam de se mostrar?! Volto a repetir, não tenho absolutamente nada contra os adventistas, cada um serve a Deus onde quiser . Mas queria apenas deixar esse ponto intrigante sobre eles: tanto exclusivismo, sectarismo e oposição contra as demais denominações.

Anônimo disse...

Os adventistas poderiam ser mais humildes. Acham que somente eles estudam e entendem a Bíblia. Mas o pior é usarem a Bíblia como instrumento de contendas e rivalidades em debates. Gostam de se vangloriar quando acham que se saíram melhor que o outro em um debate. Basta dar uma olhada na internet para vermos isso. Usam de ironias e deboche em blogs para criticar e julgar os outros ( o alvo principal são os pentecostais). Os adventistas quando são alvo de críticas chamam quem está criticando de preconceituoso e ignorante. Mas quando fazem críticas e ofendem outras denominações, eles também não estão sendo preconceituosos e desrespeitosos? Ou será que eles podem criticar a torto e direito e o resto tem que ficar só ouvindo sem se manifestar? O que mais chama a atenção sobre os adventistas é a soberba, o nariz empinado de quem se acha melhor que o outro. Isso é lamentável, mas a verdade.

Cacau disse...

Na entrevista tudo parece lindo e encantador, mas comecei a pesquisar nos sites e blogs adventistas para tentar entender melhor suas doutrinas.

Me decepcionei ao constatar que à semelhança de alguns sites cristãos, eles usam seu espaço para criticar e ofender pessoas de outras denominações. Sem contar que inúmeras vezes são mal educados, grosseiros e radicais com cristãos de outras denominações.

Também percebo que os adventistas têm "síndrome de perseguição"... Os adventistas nos seus materiais, sites, TV criticam outras denominações, muitas vezes sem serem imparciais, sendo arrogantes e até mesmo zombando (o alvo principal são os carismáticos, pentecostais)e quando eles viram alvo de críticas aí é porque são "perseguidos, coitadinhos etc."

Os adventistas são muito orgulhosos e exclusivistas, chamam os católicos e evangélicos de irmãos, mas na prática os tratam de forma diferente, sem respeito e consideração.

Os adventistas se sentem ofendidos e indignados com alguns sites que criticam as doutrinas adventistas, então o que fazem? Pagam na mesma moeda, ou seja, começam a "descer o pau" em seus sites em outras denominações e até mesmo deturpam informações de outras denominações.

Por esses motivos todos, não acho que os adventistas têm na prática seguido a recomendação bíblica de ter paz com todos, de amar o seu próximo. Claro que deve haver exceção, mas a maioria dos adventistas deixam a desejar no trato com as pessoas em geral, principalmente se a pessoa for de outra religião ou denominação cristã. Lastimável!!!

Cacau disse...

Mudei minha forma de pensar de lá pra cá... (desde o comentário anterior e esse recente). Vejo que em TODAS as denominações infelizmente há àqueles que gostam de discriminar pessoas de outras igrejas. Gastam tempo criticando ao invés de ajudar alguém que está perecendo sem salvação, sem Jesus.

Vejo que muitos evangélicos criticam os adventistas e vejo também muitos adventistas que também discriminam evangélicos, principalmente os pentecostais e carismáticos.

Mas olhando para o lado positivo: percebi que em várias igrejas (tradicionais, pentecostais) há sim pessoas verdadeiras, humildes e que amam seu próximo, não discriminam o outro só por ser de igreja diferente. Infelizmente, pessoas preconceituosas têm em todo lugar, até dentro das igrejas (adventista, pentecostal, tradicional etc).