domingo, 1 de junho de 2008

Ellen G. White


Quem foi Ellen G. White e porque milhões de pessoas consideram seus escritos de especial valor e significado?

Quando Ellen era ainda menina com a idade de nove anos ao se dirigir, certo dia, de casa para a escola, na companhia de outras meninas, uma menina mais velha, zangando-se por inveja de Ellen, atirou-lhe uma pedra, ferindo-a severamente no nariz. Ellen caiu, sem sentidos, e permaneceu no estado inconsciente durante três semanas. (Fundadores da Mensagem, p. 150) Nos anos que se seguiram ela sofreu graves consequências desse incidente, ficou impossibilitada de estudar por mais de dois anos. Tentou estudar outra vez, quando tinha doze anos, mas teve grandes dificuldades. Ela disse: ‘“Parecia impossível para mim estudar e reter o que havia aprendido... Meu sistema nervoso estava altamente ativado, e minhas mãos muito trêmulas. Assim sendo, progredi muito pouco na minha escrita. Eu não conseguia ir além de simples cópias feitas a mão (nível de primeiro ano primário). ... Meus professores me aconselharam a deixar a escola. (...) esta foi a mais dura prova da minha vida como jovem.(...) desistir da esperança de receber.” Se somássemos toda a educação escolar que ela recebeu, teríamos um período inferior a três anos. (Revista Adventista, outubro 1983, p. 14-15 CASA)

Entre 1840 e 1842, quando ela e sua familia assistiram a uma reunião Adventista em Portland, aceitaram as ideias apresentadas por William Miller(em alguns países de língua portuguesa seu nome é conhecido pelo equivalente em português, ou seja, Guilherme Miller), que confiava e garantia o regresso eminente de Cristo.

Em 1844, Ellen teve sua primeira visão quando estava numa reunião de oração com várias amigas; tinha ela dezessete anos de idade, embora só em 1846 foi essa visão dada a conhecer por meio de uma publicação. A 30 de Agosto de 1846, casou-se com James Springer White(em alguns países de língua portuguesa seu nome é conhecido pelo equivalente em português, ou seja, Tiago White), passando a ser chamada pelo nome de Ellen Gould White... Durante seus setenta anos de ministério profético, a Sra. White teve cerca de duas mil revelações divinas, começando em dezembro de 1844 (a Orientação Profética no Movimento Adventista, p.27). Suas visões trataram de assuntos variados, tais como teologia, saúde, educação familiar, e conselhos dos mais variados calibres.

Alegava ter pedido a Deus, em oração, que a livrasse desta responsabilidade. Segundo ela, contudo, as visões continuaram. Faleceu com a idade de oitenta e sete anos (em 1915) e foi sepultada em Battle Creek, Michigan. Pregava a reforma de saúde (incluindo o ovolactovegetarianismo, a abstenção do fumo e do álcool) como estilo de vida a ser seguido pelos fiéis.



Ela era uma pessoa de notáveis talentos espirituais, que viveu a maior parte de sua vida durante o século 19 (1827-1915), mas através de seus escritos ela continua exercendo um extraordinário impacto em milhões de indivíduos ao redor do mundo.

Durante toda a sua vida ela escreveu mais de 5.000 artigos e 49 livros; mas hoje, incluindo compilações de seus manuscritos, mais de 100 livros estão disponíveis em inglês, e cerca de 70 em português. Ellen G. White é a escritora mais traduzida em toda a história da literatura. Seus escritos abrangem uma ampla variedade de tópicos, incluindo religião, educação, saúde, relações sociais, evangelismo, profecias, trabalho de publicações, nutrição e administração. Sua obra-prima sobre o viver cristão feliz, Caminho à Cristo , já foi publicada em cerca de 150 idiomas.

Os adventistas do sétimo dia crêem que a Sra. White era mais que uma escritora talentosa - ela foi apontada por Deus para ser uma mensageira especial a fim de atrair a atenção de todos para as Santas Escrituras, e para ajudá-los a se prepararem para a segunda vinda de Cristo. Desde os 17 anos de idade até o seu falecimento, aos 87 anos, Deus lhe deu cerca de 2000 sonhos e visões. As visões variavam em duração, podendo ser de menos de um minuto até cerca de quatro horas. O conhecimento e conselhos recebidos através dessas revelações foram por ela escritos a fim de serem compartilhados com outros. Assim, seus escritos são aceitos como inspirados pelos adventistas do sétimo dia, e a qualidade excepcional dessas obras é reconhecida mesmo pelos leitores ocasionais.

Como nos é declarado no livro Nisto Cremos “Os escritos de Ellen White não constituem um substitutivo para a Bíblia. Não podem ser colocados no mesmo nível. As Escrituras Sagradas ocupam posição única, pois são o único padrão pelo qual os seus escritos – ou quaisquer outros – devem ser julgados e ao qual devem estar subordinados” ( Nisto Cremos, Associação Ministerial, Associação Geral dos Adventistas do Sétimo Dia, Tatuí, SP: Casa Publicadora Brasileira, 1989, p. 305).

Contudo, conforme escreveu Ellen White, “O fato de que Deus revelou Sua vontade aos homens por meio de Sua Palavra, não tornou desnecessária a contínua presença e direção do Espírito Santo. Ao contrário, o Espírito foi prometido por nosso Salvador para aclarar a Palavra a Seus servos, para iluminar e aplicar os seus ensinos” ( O Grande Conflito, p. 9).

Um comentário:

janice disse...

CAro Leandro Deus o abençõe por este trabalho. Eu gostaria de saber qual a opinião da Sra White a respeito do vestuário feminino. A mulher deve ou não usar calça comprida? Mina igreja é de interior e tradicional e estamos vivendo esse impasse estou procurando respostas que possam ser argumentadas com a igreja pois a mesma não aceita que as esposas dos pastores usem calça quando vão nos visitar.me ajude!